Assine a newsletter

Final do mês chegou e com ele muitos produtos também chegaram ao fim. Já compartilhei, várias vezes, que não sou a louca dos cosméticos, mas quando uso algo novo e é bom eu quero vir aqui compartilhar com vocês as minhas impressões e como que a minha pele ou cabelo reagiram.

No post de hoje trago uma mescla de produtos para o corpo, cabelo e maquiagem. Começando com os de corpo, os dois últimos hidratantes que usei foi um da Skala, de Amora e Figo. Ele não é grosso, espalha bem, não deixa a pele com aspecto de melado e você fica perfumada, por conta do cheiro da amora (não é enjoativo).

Produtos de beleza+Resenha

Eu só conhecia os produtos de cabelo da Skala e adorei saber que a marca tem uma linha para o corpo. O pote que eu comprei tem 500ml e você encontra tanto em supermercado quanto em perfumaria. A composição do creme leva Amora e Figo que ajudam na hidratação e rejuvenescimento da pele.

Outro creme para o corpo que eu usei foi o Deleite, do O Boticário, da linha Cuide-se Bem. Peguei ele naquelas campanhas para retirar a amostra grátis (já participei de várias) e confesso que o tamanho full size me surpreendeu quando fui retirar (normalmente é tamanho de amostra). E outro creme que consegui retirar foi o creme para as mãos de manteiga de Karité, da linha Nativa SPA.

Esses foram os primeiros produtos, para o corpo, que usei do O Boticário e adorei. Ambos têm a consistência na medida, espalha e tem boa durabilidade, tanto na pele (hidratação) quanto de produto.

Produtos de beleza+Resenha+Creme para o corpo+O Boticário+Skala

Saindo do corpo e indo para o cabelo, acabou nesse mês os produtos da Florigen (falei mais deles aqui) e o um item que usei e que deu um "boom" no meu cabelo, foi o Sérum Booster de reparação, da L'óreal. Eu usei uma vez por mês misturado com o condicionador (a medida é de uma tampa).

Comecei a usá-lo antes de cortar ele joãozinho (antes de novembro/2018) e como na época ele estava bem danificado por conta da química, consegui ver o resultado no primeiro dia de uso. Pra quem gosta de usar ampolas pra complementar, super indico esse da L'óreal.

Produto para o cabelo+Resenha+Serum de hidratação+Loreal


Produto de beleza+Maquiagem+Resenha+Base da Mary Kay

E os últimos terminados no mês foram a base e o prime da Mary Kay, da linha Timewise. Eu adoro os produtos da marca, a base adéqua ao rosto, dura o dia todo, não craquela e transfere muito pouco. E o que mais gosto é que com uma única cobertura ela já cobre bem a pele e ai vai do gosto de cada pessoa passar uma, duas, três, quantas camadas quiser.

Já estou testando novos produtos, principalmente para os cabelos, e assim que eles forem acabando venho contar o que achei.

Mas agora eu quero saber, quais desses itens vocês já usaram?

beijos, beijos
Uma das coisas que desde o final do ano passado eu tenho me aventurado, é a participar de desafios onlines propostos por pessoas que acompanho no Instagram. Eu vejo eles como uma forma de sair da zona de conforto e de interagir com as pessoas que sigo. E, claro, gerar conteúdo para o blog e para as redes sociais.

Participar desses desafios também faz com que eu me redescubra, que eu conheça mais as minhas peças (no caso das roupas) e que eu aprenda mais sobre os meus hábitos e gostos.


Essa semana em participei do meu terceiro desafio, sendo o segundo relacionado a moda. Ambos foram/são propostos pela Guid do Não Repete (@nãorepete) que lança os desafios para incentivar as pessoas a tentarem coisas novas, olhar o guarda-roupa com outros olhos, passar a usar as roupas que estão paradas ou que faz tempo que você não usa.

O tema dessa vez foi criar looks com "Peças essenciais" e desde segunda-feira (22/04) até ontem (26/04) eu apliquei, a minha maneira (teve alguns dias que substitui algumas peças), a proposta do desafio. E como essenciais a Guid pontou as peças: camiseta ou blusa branca, calça jeans ou preta, jaqueta jeans ou blazer preto e camisa branca ou jeans.


Outro desafio que participei foi o "Truques de estilo", sendo eles: barra dobrada, composição de acessórios, o charme do nó, crie com lenço e batom como acessório. Eu amei participar desse desafio, ainda mais porque tinha acabado de cortar o cabelo e estava me sentindo foda/maravilhosa/a deusa do Egito/última bolacha do pacote (hahahahah).

Na semana desse desafio eu também viajei para um congresso, em Juiz de Fora e o meu desafio pessoal foi aplicar cada tema em looks com um estilo mais social, devido o ambiente que estava, mas sem perder a minha identidade. Abaixo as fotos das produções.


E um desafio que fez eu sair 100% da minha zona de conforto foi um de finanças proposto pela Natália Arcuri, no final do ano passado, onde, além de executar o tema de cada dia, era preciso compartilhar no stories do instagram o que estava fazendo.

Nessa semana eu tive que diminui alguns gastos, como as taxas de cartão de crédito, vender itens que não usava (como roupas e livros), mandar uma mensagem de gratidão para uma pessoa que não tinha sido bacana com você em algum momento e se divertir com apenas R$20,00.

A partir desse desafio eu passei a conversar mais sobre dinheiro, a criar o hábito de toda semana ler ou assistir algum material sobre o assunto (antes era mais esporádico) e, o que me deixou mais feliz, foram as mensagens que recebi durante o desafio. Teve gente querendo saber mais sobre as taxas do banco, porque não sabiam que é possível ter isenção delas. Teve gente que me mandou áudio explicando mais sobre questões de acordo e parcelamento (informações que não sabia). E teve gente que se inspirou nas opções de renda extra que utilizei e que começaram a aplicar.

>>>>>>Veja também: Como foi ficar 1 ano sem comprar roupa<<<<<<<<

E com esse meu relato eu quero convidar, você, que está lendo esse post, a participar dos desafios online propostos pelas pessoas que você acompanha (há, e os que eu também for propor em!). Como citei no início do texto, eles servem pra gente se conhecer, aprender coisas novas e compartilhar com o próximo esses aprendizados.

No meu instagram (@gabiipsousa) tem as fotos dos desafios de moda explicando na legenda como que foi a escolha de cada look e fiz um destaque do desafio de finanças, pra quem tiver interesse em saber como que foi.

beijos, beijos
Recentemente vi um vídeo que falava sobre mudanças, tanto internas quanto externas e ele me fez pensar na última grande mudança que eu tive, que foi ir morar com o Roberto. Era algo que desejava, mas não tinha noção de  como seria. E quando ele veio para cá, em agosto do ano passado, foi o início de uma nova vida, de aperfeiçoamento do nosso relacionamento, início de novos cuidados e de um novo olhar.

Uma das coisas que eu sou grata no meu relacionamento é que desde o início eu o Roberto fomos parceiros. Parceiros de ir trabalhar juntos, parceiros de Mc Donald's todo dia 1º do mês, parceiros de compras, parceiros de trabalho, parceiros de conversas aleatórias, parceiros de cervejas...


Não vou mentir dizendo que nunca brigamos, mas em sete anos de namoro tivemos uma única grande briga que foi em decorrência da nossa distância e de decisões que tive que tomar (naquele momento pensando mais em mim do que em nós). E, claro, que como todo casal de vez em quando a gente da umas discutidas de leve (só pra dar uma esquentada na relação hahahaha), mas que no dia seguinte já está tudo resolvido.

Mas hoje eu não quero falar só das coisas boas - que é o que prevalece, graças a Deus -, e, sim, compartilhar como que foi o nosso primeiro mês morando no mesmo teto, compartilhando todos os espaços da casa, tendo que falar de dinheiro (da casa e do pessoal) e como que foi se adaptar a uma nova realidade.

A nova mudança de vida fez com que eu aprendesse a parar de pensar só em mim (mesmo você dividindo casa com pessoas maravilhosas, sempre terá uma parte de você que será solidão) e começar a pensar em nós. Eu aprendi a falar mais baixo e sem agressividade (às vezes ainda sai, mas já consigo me policiar), aprendi que não devo ter vergonha de compartilhar as coisas, ainda mais se for relacionada a dinheiro, aprendi que quando se mora junto o famoso "ceder" se faz presente todos os dias e ai entra a capacidade do casal em alinhar o que cada um vai fazer, e aprendi que brigas bobas só prejudicam o nosso humor e desgastam a relação.



E quando alinhei, dentro de mim, todos essas questões parei de encher o saco com pouca coisa e os nossos dias e noites passaram a ser de muita risada, clima tranquilo e felicidade. Ah, algo que também aprendemos (sim, eu e o Roberto) foi a respeitar o espaço um do outro e sempre entrar em um consenso quando vamos fazer algo.

É gostoso, é diferente, é alegria. Principalmente quando você namora a distância e percebe que a partir daquele dia, quando vão morar juntos, que a casa não terá apenas a sua presença e sim a de vocês. E que aquele local não será só, mais uma casa, mas sim o seu lar.
Um dos temas que eu sempre gostei de ler, pesquisar e brincar, é sobre moda. Como sempre fui leitora assídua de revistas, sempre me encantou saber quais são as novidades do mundo da moda, o que será usado em cada temporada, como combinar as peças entre si e por ai vai.

Confesso que nos últimos dois anos tenho consumido menos moda quanto gostaria e como tenho sentido falta de falar sobre esse assunto, aos poucos estou voltando a ler e assistir mais conteúdo sobre o tema.


Semana passada eu fiz uma pergunta no meu stories (@gabiipsousa) sobre qual assunto os meus seguidores gostariam de ver. Houve apenas uma resposta (sim, fazer o que, ainda estou na busca de entender o porque das pessoas não interagirem pelas enquetes e perguntas do stories) e foi pedido para eu mostrar looks não tradicionais.

E como look não tradicional, entendo que são aqueles que seguem uma cartela de cores sóbrias, recortes retos e produções onde a pessoa não ousa muito, não sai da sua zona de conforto ou tem dificuldade de combinar peças de tecidos diferentes entre si.

Mas Gabi, e onde que o Minas Trend entra nesse assunto?

O Minas Trend, entra como fonte e busca de inspiração pra saber o que vai estar em alta e ver exemplos combinações (inusitadas ou não). A primeira edição de 2019 aconteceu entre os dias 9 e 12 de abril e apresentou as coleções primavera/verão 2020. Essa edição veio com novidades, sendo elas desfiles coletivos abertos ao público, palestras e a Feirinha Aproxima.

Nessa edição foram 10 desfiles, sendo 1 do Sindijoias e dois coletivos. Com o tema Minas em Dias de Sol as marcas participantes buscaram inspiração na natureza e até no marrocos. Iremos ver muitos tecidos leves, como o seda, linho, tule e organza.

As cores que vão se fazer presente na temporada primavera/verão 2020 são o vermelho-tomate, rosa shocking, coral, verde, amarelo, cassis (um tom de laranja) e o dourado. E pra quem não dispensa brilho, também teremos peças com aplicações de paetês e pedrarias. Ah, e o animal print vai continuar firme forte.
Fotos retidas do instagram do Minas Trend [@minastrend_]

Fotos retidas do instagram do Minas Trend [@minastrend_]

Fotos retidas do instagram do Minas Trend [@minastrend_]

Fotos retidas do instagram do Minas Trend [@minastrend_]

Fotos retidas do instagram do Minas Trend [@minastrend_]

Muitos dos desfiles das semanas de moda são, sim, conceituais mas sempre tem alguma produção que dá pra gente trazer ou adaptar no nosso dia a dia.
Como costumo dizer, a moda tem que ser levado de forma leve e como um momento de descontração. Tira um dia pra olhar as peças que têm no guarda-roupa, teste combinações, crie novas peças com o que já tem e se joga.

beijos, beijos
Conheci o Rodrigo Cardoso em um Congresso da Federaminas (Federação das Associações Comerciais do Estado de Minas Gerais), onde ele deu um treinamento de alta performance para os participantes. Foi incrível, foi transformador e mexeu com o interior de cada pessoa que estava no auditório, inclusive o meu.

Eu fiquei fascinada pela história dele, pela energia que ele transmite e pela forma como ele faz a gente enxergar as coisas por uma nova ótica. Teve choro, ô se teve. Mas foi aquele choro de lavar a alma e deixar tudo de ruim, tudo que não me pertencia ir embora. Ah, e pra vocês terem noção, no final do treinamento quebramos uma tábua de madeira com as mãos e andamos sobre a brasa (foi uma tarde inteira de preparação para esse momento). Essa experiência foi tão intensa que nunca consegui esquecer.


E ler o livro O Sucesso está em suas Mãos, me lembrou esse dia e da importância de acreditar que tudo vai dar certo e que o meu sucesso, os meus sonhos, só dependem de mim. Nas 170 páginas, Rodrigo te mostra, a partir da sua própria história, que ter entusiasmo para realizar as coisas é algo que precisa fazer parte do seu dia.

O livro também fala sobre a lei da atração, de visualizarmos o que queremos, da importância de colocar as metas no papel e viver como se já tivéssemos aquilo. São 21 capítulos e na maioria deles têm algum exercício para o leitor fazer.

Eu tenho lido muitos livros que convida o leitor a "colocar a mão na massa" e tenho adorado. Me faz pensar melhor sobre as coisas e eu consigo me expressar com mais clareza sobre o que quero.

Se você também gosta de livro assim e que, ao mesmo tempo que é leve de leitura te faz questionar sobre várias coisas, recomendo lê-lo.
No dia 30 de março eu dei uma palestra para o Rotaract de Mariana (faço parte) sobre Blogs abordando sua criação, importância, como pode ser usado, planejamento, entre outros. Uma das coisas que me deixou mais encantada, foram os feedbacks, após a palestra, de pessoas que têm vontade de criar um blog e não sabiam por onde começar.

E falar de blog é uma coisa que eu gosto muito, principalmente se for para auxiliar as pessoas que querem criar um. Nesse post dei 8 dicas pra quem quer criar um blog e nesse texto vou abordar as plataformas existentes para se criar um blog.


Um dos passos na criação de um blog ou site é a escolha da plataforma, aonde que ele será criado. As três mais conhecidas são o Blogger, que é um produto do google; o Wordpress e o Wix. Além delas, existem empresas que trabalham com criação de sites e possuem a sua própria plataforma. Claro que, nesse caso o custo de criar um blog ou site é alto comparado as demais, que são plataformas gratuitas e o que você paga é o domínio e/ou layout.

Antes de você escolher onde irá hospedar o seu blog, é importante que você tenha em mente qual é o objetivo dele, vai ser para publicação de textos? Vai ser um portfólio de imagens? Uma loja online? Um blog pessoal ou de uma empresa?  E ao mesmo tempo que você responde essas perguntas é interessante você entrar em sites de diversas plataformas, pra já ir se familiarizando com elas.

Blogger
A primeira plataforma que trago é o Blogger (ou Blogspot) que é um produto do google e super fácil de criar uma conta, basta ter um email no gmail. Ele é super intuitivo e fácil de navegar. O ponto negativo, é que não há layouts bacanas gratuitos, mas tem vários sites que disponibilizam modelos gratuitos e é só adicionar o html dele manualmente no blog. 

Wordpress
O Wordpress é conhecido por ser uma plataforma mais profissional, pela infinidade de plugins e recursos que oferece. Há vários temas gratuitos (e bacanas) e na hora de criar o post a própria plataforma te da dicas de SEO. Pelo wordpress ser um pouco mais complexo indico tirar um tempo pra fazer uma tour pelo site, conhecer as possibilidades que ele oferece, como comprar o domínio (é diferente do blogger), entre outros. Ah, e muitos blogs são criados no blogger e depois são migrados para o wordpress. 

Wix
O Wix é uma plataforma que, para mim, é ótima para ser usada como portfólio de fotografia. Acho um pouco chatinha pra mexer, mas ela tem layouts e transições de páginas bem interessantes. Nele, você também pode criar uma land page (página estática) só com as informações básicas do seu negócio. 

O Blog da Gabe Pinheiro (esse onde você lê esse texto) foi criado e é usado no Blogger. Como eu estou mais familiarizada com ele, acabei optando por criar o blog nele e comprar um layout com as especificações que eu queria. O domínio foi eu que comprei e fiz o registro e toda a manutenção (até alguns recursos de html) sou eu que resolvo.

Criar um blog, manter um blog e ter um blog requer pesquisa, planejamento e dedicação. Não adianta você escolher uma plataforma bacana se não souber usar as ferramentas que ela oferece. Então, navegue muito por elas, leia posts sobre as plataformas e converse com pessoas que já têm blogs para sanar dúvidas e pegar opiniões.

Precisando de algo, estamos ai.

beijos, beijos
Viajar, conhecer uma nova cultura e conhecer um novo país. Se eu te disser que é possível ir para fora do Brasil gastando pouco (ou nada), você acreditaria? Sim, isso é possível e um dos caminhos é pela universidade.

Quando decidi qual profissão iria seguir e em qual instituição queria entrar, um dos meus desejos (e meta) era estudar em outro país. Entrei na UFOP (Universidade Federal de Ouro Preto), estava fazendo o curso que queria e no primeiro ano descobri que existia, dentro da universidade, um departamento de assuntos internacionais, que cuidava dos intercâmbios.

O sonho de estudar em outro país, via universidade, foi ficando cada vez mais forte e a medida que pesquisava mais sobre o assunto via que, sim, é possível ir estudar fora do Brasil e, ainda, com ajuda de custo.


Para você que é novo no blog, no primeiro semestre de 2015 eu fiz a minha primeira viagem internacional. Fui fazer intercâmbio na Colômbia por seis meses e estudar comunicação social - jornalismo na Universidad Pontifícia Bolivariana (UPB). Todo o processo de inscrição no programa, avaliação, aceitação, montar grade curricular, saber aonde ia morar e acompanhamento, foi feito junto com a UFOP e a UPB.

Como eu sei que estudar fora é o sonho de muitas pessoas, fiz um passo a passo pra te ajudar nesse processo.

1º passo: Procurar se a sua universidade possui um departamento de Relações Internacionais e se tem programas de intercâmbio (na UFOP o setor responsável é o Caint);

2º passo: A universidade oferece intercâmbio? Ótimo. Agora é hora de você ler sobre os programas, quais que tem para o seu curso, prazo, restrições e se há, o mais importante, ajuda de custo;

3º passo: Tirar o passaporte. Você precisa do número dele para fazer a sua inscrição no processo de intercâmbio. O passaporte você tira no site da Polícia Federal;

Leia também:


 4º passo: Quando você está tentando um intercâmbio pela universidade, uma das regras pra você ser elegível é ter coeficiente (nota final do semestre) alta, ou, pelo menos, o mínimo que é pedido naquele processo. Então, se você quer estudar fora primeiro tem que se dedicar na sua universidade de origem;

5º passo: Leia, leia e leia o regulamento e os documentos que você deve entregar na primeira etapa. Na minha época, tive que entregar: requerimento de inscrição, histórico escolar, cópia do passaporte, carta de intenção e declaração de curso de línguas (esse item não era obrigatório, mas contava pontos na hora da avaliação).

6º passo: Rever os documentos antes de enviar e aguardar o resultado.

Fazer mobilidade acadêmica (ou intercâmbio) pela universidade é uma oportunidade que está disponível para todos e que não depende do famoso "ah, mas eu não tenho grana pra isso" ou "só vai pra fora quem é rico", o que conta nesse processo é o seu desempenho na universidade e quais resultados irá trazer.

Dúvidas, deixa aqui nos comentários ou me manda um email (falecomagabipinheiro@gmail.com) que eu vou adorar te ajudar nesse processo.

beijos, beijos