#Resenha: Produtos para o cabelo – Florígen

Em outubro participei, pela Associação and trabalhando, da Superminas Food Show. Esse é o segundo maios evento do Brasil no ramos de supermercadistas, panificadores e toda área alimentícia. Além das marcas de comida, doces e equipamentos que participam do evento, os visitantes também encontram produtos de beleza.

Como estava na Superminas a trabalho e também para conhecer as novidades do segmento (alimentício) que estava chegando ao mercado, conheci duas marcas para cabelos a Oh My! e a Florígen. E é sobre essa última o post de hoje.


A Florígen é um braço da marca Bothânico Hair e possui quatro linhas de tratamentos, a Ondas Perfeitas para cabelos ondulados e cacheados; a Óleos Magníficos que oferece uma hidratação intensa; a Pró-reparação para recuperar os fios danificados por processos químicos; e a linha Super Força que ajuda no crescimento saudável.  

Na feira, ganhei o kit pró-reparação e comecei a usá-lo na semana seguinte alternando a máscara de hidratação dia sim dia não. Na época meu cabelo estava grande estando a raiz natural e o comprimento com progressiva e foi quando eu mais vi resultado dos produtos no cabelo.

Entre os dias 21 e 27 de outubro (1º semana) já senti o cabelo mais macio e o perfume dele ficou três dias no cabelo (um dos representantes da marca tinha me garantido esse item). Nessa semana, fiquei sem fazer escova, notei que ele não ficou tão armado (por conta da progressiva saindo) e percebi que o frizz diminuiu.

Na segunda semana (28/10 a 04/11) fiquei a maioria dos dias sem escova e fiz só no domingo, porque tinha um evento para ir. Senti que o cabelo ficou mais liso, com brilho e as pontas ficaram hidratadas, não estava mais com o aspecto de quebradas por conta da química.


De ponto negativo, o único que destaco é que a máscara d hidratação poderia ser um pouco mais grossa, ainda mais porque a linha é pra reparar os danos causados com a química. Mas de forma geral eu gostei bastante da linha e agora quero testar a linha para cabelos enrolados.

Em Ouro Preto não achei nenhum lugar vendendo os produtos da Florígen, mas na internet encontrei no site Submarino.

beijos, beijos

#Livro: A Lei do Triunfo para o século 21


Esse ano eu deixei um pouco de lado os livros de romance, ficção, aventura e moda, para me dedicar a leituras sobre autoconhecimento e empreendedorismo. Esses livros fizeram com que eu olhasse para a minha rotina, o relacionamento comigo mesma e o que eu quero para o futuro de forma diferente e com mais foco.

Para fechar os livros lidos em 2018 escolhi “A Lei do Triunfo para o século 21”, de Napoleon Hill comentado e interpretado por Jamil Albuquerque, Marcio Abbud e Walter Kaltenbach. Esse livro fala sobre as 17 leis que tornam uma pessoa Master Mind e como essas leis, bem trabalhadas, faz com que você se torne um líder melhor tanto na vida profissional quanto na pessoal.


A Lei do Triunfo é uma releitura da obra original do Napoleon Hill e nos mostra como coisas básicas (e importantes) se aplicadas da forma correta nos dão resultados acima da média. Algumas marcações que fiz no livro, diz respeito ao ambiente de trabalho. Hill destaca que se quisermos termos uma vida profissional prazerosa e que dê o retorno financeiro que queremos, devemos nos cercar de pessoas que já estão no patamar que queremos chegar.

Cada capítulo fala sobre uma lei e mais do que dizer o que ela significa, os autores (que estão fazendo os comentários) colocam exemplos de grandes empresários, mostrando como que eles utilizaram aquela lei e o resultado que ela teve na vida de cada um.
Abaixo segue alguns trechos que me chamaram a atenção.






O livro não tem uma leitura difícil, mas requer um pouco de atenção e entrega devido os conceitos de cada lei, além de fazer questionamentos para o leitor. Se você está procurando um livro sobre comportamento empresarial, mas que não seja um livro técnico, vale a pena comprar A Lei do Triunfo para o século 21, você consegue acha-lo na Amazon.

--
Sobre o Master Mind, ele é um treinamento de alta performance em desenvolvimento pessoal, inspirada na obra A Lei do Triunfo. O treinamento se baseia no modelo Experimential Learning, uma metodologia desenvolvida na Harvard Business School, aplica em 12 sessões de 4 horas uma vez por semana onde são desenvolvidas as seguintes competências: autoconfiança, flexibilidade, controle de preocupações e estresse, comunicação eficaz, memória e entusiasmo. [Livro A Lei do Triunfo]

Em Ouro Preto, o treinamento é realizado na Associação Comercial. Eu ainda não fiz (está nas metas de 2019), mas já presenciei algumas intervenções da equipe Master Mind em eventos que realizamos e é algo fenomenal. Se você for de Ouro Preto e tiver interesse em saber mais sobre treinamento, pode enviar um email para empreender@aceop.com.br.

Cabelo curto, moda e representação

Uma coisa é fato, as curtinhas estão dominando o mundo e quem entra nessa vida nunca mais quer sair hahahaha. Brincadeiras à parte, mas cada vez mais estamos vendo mulheres com cabelos curtos andando pelas ruas, em campanhas publicitarias, na TV e nas semanas de moda. E é sobre esse último local que irei falar no post hoje.

Eu sempre gostei de moda, sempre comprei revistas (de moda), sempre acompanhei sites com as novidades de cada temporada e sempre fui fascinada para assistir um desfile de moda ao vivo. Em meados de 2013, o shopping Mega Polo Moda (minha mamis trabalha em uma das lojas) começou a realizar semanas de moda. Na época estava no blog Lucidez Feminina e foi quando consegui a minha primeira credencial de imprensa (me senti hahahaha).

A experiência foi ótima, mas ainda ficava vislumbrando os desfiles fechados como o do SPFW. Tive a oportunidade de participar do Minas Trend no passado e acabei matando esse meu sonho.

{foto FFW}

Além das roupas, acessórios e sapatos que eram desfilados, passei a observar a beleza das modelos nos desfiles e reparei que raramente aparecia uma modelo de cabelo curto. O que sempre predominava (e ainda predomina – um pouco) são as de cabelos lisos.

Sim, essa realidade vem mudando e as marcas têm apostado em diversidade e em cabelos curtos, raspados, crespos, ondulados e lisos. E isso é muito bom. Sabe porquê? Porque eu, a minha irmã, a minha amiga ou a minha prima passa a se ver representada naquele meio. E os “padrões” que ao longo do tempo os meios de comunicação vieram pregando, vão caindo por terra fazendo com eles próprios passem a ter um olhar mais humano na hora de criar uma propaganda, um editorial ou um desfile de moda.

E entrando na questão dos cabelos, é justamente isso. As marcas e produtores das Semanas de Moda perceberam que, sim, é importante ter na passarela mulheres com todos os tipos de cabelos e o mais importante, que todas são linda independente do cumprimento das suas madeixas.
Como forma de encorajar você a não terem medo de cortar o cabelo, achando que “ah, mas cabelo curto não combina comigo” ou “eu vou ficar feia de cabelo curto” selecionei algumas modelos de cabelo curto que desfilaram no SPFW nº46, para servir de inspiração para o seu novo corte.






Ah, gravei um vídeo do dia que cortei o meu cabelo joãozinho. Pra assistir é só dar play!



beijos, beijos

obs. as fotos tiradas do site do FFW dos desfiles da edição 46 do SPFW

#Texto: Vista-se do cabelo que você quiser

Hoje eu acordei decidida a cortar o cabelo. Mas não qualquer corte. Decidi que iria passar a tesoura e voltar ao corte que, para mim, simbolizou liberdade, crescimento e coisas novas.

A meses que falo e penso em cortar ele pixie (ou Joãozinho, como preferir), mas sempre acabava levando os pensamentos para outros assuntos e a vontade (e decisão) foi ficando mais forte, que a única coisa que me restou foi “alô, tem horário pra hoje? Preciso cortar o cabelo”.

E cortei. Cortei o cabelo e com ele todas as coisas negativas que me rondavam. Cortei o medo de tentar coisas novas, cortei sentimentos e atitudes que não agregam em nada e cortei palavras negativas para dar espaço a palavras de crescimento.