Rotina de beleza (simples) para o rosto

Um dos rituais que vem ganhando força na rotina das mulheres, é o cuidado com o rosto. A nova rotina é mais que um momento de cuidado, mas também de relaxamento e descanso.

Desde novembro passado eu passei a cuidar melhor da minha pele e desde então venho observado como ela tem melhorado e como uma simples rotina de beleza já faz toda a diferença.


Não investi em produtos caros e não adorei um cronograma extenso com diversos passos, para se fazer no período da manhã e a noite. A primeira coisa que fiz foi ter consciência que a minha pele precisava de um cuidado só pra ela e que a rotina que estava levando e, principalmente, a alimentação estava afetando diretamente o aspecto que a minha pele estava.

Depois desse momento, listei alguns itens de beleza que estava precisando e o que, naquele momento, iria me ajudar a criar uma rotina de cuidados. Os produtos para o rosto que investi foram: um protetor solar, um leite de colônias, um sabonete e argila. Quanto ao passo a passo, adotei o a seguir.


1º passo: Comprei o sabonete em gel da Avon, da linha Clearskin, e uso ele pra limpar a pele antes de receber os outros produtos. Eu gostei bastante da textura dele e da textura que deixa na pele.

2º passo: Em seguida, uso um produto pra limpar os resíduos que ficaram no rosto e, atualmente, estou usando Leite de Colônia. Ele é indicado para todos os tipos de pele, mas como tem álcool na sua composição pode ser que algumas peles não adaptem a ele. Ele da um ardidinho no rosto (por conta do álcool), mas limpa bem.

3º passo: Após a limpeza faço uma máscara facial de argila (semana sim semana não) ou esfoliação caseira com hidratante + café.

4º passo: E o último passo, finalizo com o protetor solar. O que estou usando é o Solar Expertise Toque Seco, da L'oreal. Ele tem uma textura gel creme e eu amei, porque ele não deixa a pele com aspecto "acabei de passar protetor". Ah, sem contar que o cheiro é suave e não incomoda.

Realizando esse mini ritual de beleza, bebendo mais água (tenho que andar com uma garrafinha, porque se não esqueço) e diminuindo a cerveja, o aparecimento dos resultados veio de forma rápida (até o mozão elogiou o brilho da pele), fazendo até com que eu diminuísse, de novembro para cá, o uso de maquiagem para ir trabalhar.

Essa é a minha rotina simples para o rosto, mas quero aperfeiçoa-la usando novos produtos e realizando mais passos. E vocês, mantêm uma rotina de beleza?

beijos, beijos

#Texto: Não espere eu ir embora

 Não espere eu ir embora para me dizer o quanto você me ama. Para falar das coisas que você admira em mim, de como se sente bem quando te faço sorrir, que você gosta do jeito que te olho e que sempre me preocupo com você. Que você se sente bem quando estou por perto, que gosta de acordar e sentir meu cheiro no seu travesseiro.
Não espere eu ir embora para perceber…
Que me admira quando tenho coragem de defender os meus projetos e o jeito confiante e autoritário que falo sobre feminismo, sobre minhas crenças e tudo mais. Não se esqueça de me dizer que você gosta de mim até quando você me dá uma bronca e fica muito nervoso comigo, pois você gosta de me ajudar a crescer. Que você admira minha independência, segurança e força de vontade.



Esse é o momento perfeito para você me dizer que sou linda até quando eu acordo de manhã cedinho. Que você adora quando, já tarde da noite, saio da cama, coloco calça jeans e moletom, meia e havaianas, só para te ver rapidinho na porta da minha casa. Que quando estamos juntos até uma simples cerveja gelada fica mais especial. Um lugar comum se torna “o nosso lugar”. E quando estamos juntos, esquecemos até dos amigos inconvenientes.
Não espere eu ir embora para perceber tudo disso, porque você sabe o quanto eu sou orgulhosa. Você sabe que sou dessas que se decide ir, vai sem olhar para trás. E depois que eu for nada mais vai adiantar. Nada de flores, de chocolates, de cartas ou declarações. Não me perca, pois vai ser para sempre.
Não espere eu ir embora para perceber como um beijo no meio do caminho teria feito uma grande diferença. Não espere uma oportunidade para gente se ver mais uma vez.
----
Convidei a Fiama pra colaborar com o blog uma vez por mês, com textos sobre amor, carreira, autoconhecimento e o que mais ela quiser escrever.
"Fiama Souza, 26 anos, advogada, bacharel em Direito pela UFOP, administra o instagram @papo_de_advogada e escreve no Papo de Advogada "

Como utilizar o Marketing de Influência | 2º parte

Semana passada teve um caso que foi assunto na internet, que foi sobre o vídeo da Bettina (se você ainda não sabe do que estou falando da um google). O vídeo foi uma estratégia de marketing da empresa Empiricus, mas que, ao meu ver, não teve um resultado satisfatória para a marca. Pesquisando sobre como eles utilizam o marketing, da para perceber que é algo bem agressivo e que o objetivo é crescer, apenas, o número de clientes deixando de lado o relacionamento humano. E é sobre esse relacionamento humano que trago a segunda parte do compilado de dicas da Semana do Marketing de Influência.



No post da semana passada falei sobre a relação das empresas com os influenciadores e o que elas devem levar em conta na hora de contratar um. Hoje, vamos falar sobre como escolher um influenciador e como transformar o marketing de influência em vendas.

Quem trabalha com redes sociais, principalmente facebook e instagram já percebeu que quando um post é humanizado, é escrito de uma forma mais informal, mais próxima com o seu público o alcance dele é maior quando publicamos um post com um tom de divulgação.

E esse foi um dos pontos abordados no webinar como escolher um influenciador, tanto que uma frase que me marcou foi "entender sobre influenciadores, é entender sobre relações humanas". E o que isso quer dizer? Que, da mesma forma que o influenciador cria um relacionamento com o seu público, as empresas que os contratam também têm que criar esse relacionamento com eles, principalmente pós ação.

"A marca que contrata o influenciador, também tem que se munir de informação e está presente para interagir com o público na rede do influenciador."

Sobre a busca dos influenciadores pelas marcas, o webinar destacou alguns caminhos, como procurar através de hastags, dos seguimentos daquela categoria, seguir blogs ou por meio de assessorias especializadas.

A partir do momento que uma marca contrata um influenciador ela espera que ele traga resultados, principalmente no que diz respeito a venda. Mas ai, entra uma questão importante que as empresas precisam tomar cuidado, nem sempre o criador de conteúdo tem uma visão de negócio, por isso a importância de pesquisar esses influenciadores e ter bem alinhado qual é o propósito daquela ação. Por isso que as marcas precisam conversar com o influenciador (para que ele sane todas as dúvidas) sobre o trabalho e que os dois alinhem o que é melhor para ambos.

E toda ação vai garantir uma venda? Nem sempre. Pode ser que o objetivo seja criar uma proximidade do público com a marca, consequentemente trazendo mais clientes. Como pode ser uma ação que vai gerar apenas relacionamento. E os dois resultados estão ok, Claro que as empresas precisam entender os resultados que podem ter e já os influenciadores têm que fazer o trabalho com excelência e, se possível, fazer mais do que o combinado.

O marketing de influência é algo que, nos dias de hoje, não deve ser ignorado e os profissionais que trabalham só com essa ponta da divulgação estão a todo momento estudando sobre o assunto, testando novos recursos, testando novas estratégias e se mantendo atualizado com o novo. Por isso, se você quer saber mais sobre essa área, pesquise e estude muito.

Como usar o Marketing de Influência a seu favor

Uma das coisas que eu trouxe de 2018 para esse ano, é estudar mais. Como dinheiro não é desculpa para não investir (sim, pra mim, educação é um investimento) em cursos, palestras ou oficinas que desejo fazer, estou assistindo webinar e buscando cursos online gratuitos.

Em fevereiro, entre os dias 19 e 22, assisti os webinar da Semana do Marketing de Influência, realizado pela Resultados Digitais em parceria com a Squid, plataforma que ajuda no processo recrutamento e gestão de influenciadores digitais. Foi uma semana de muito conteúdo bacada voltado tanto para quem é empresa quanto pra quem trabalha produzindo conteúdo online. Eu anotei muita coisa e fiz um compilado de dicas, ações e cuidados que valem a pena tomar.




Os temas abordados na Semana do Marketing de Influência foram: "Como fazer uma estratégia de marketing de influência?"; "Marketing de influência é para a minha empresa?"; "Como medir o retorno do Marketing de Influência?"; "Como escolher um influenciador?"; e "Como faço o marketing de influência se transformar em vendas?".

Antes de passar as dicas que os profissionais que participaram dos webinar deram, uma coisa que você, que está lendo esse post, tem que intender é que o Marketing de Influência (como ele é realizado hoje) ainda é novo e novas estratégias são testadas a todo momento. Com isso, não tem o certo e errado, mas sim o que se adéqua ao seu objetivo e o que se adéqua ao seu público.

Pra quem tem uma empresa e quer trabalhar com o Marketing de Influência, antes de mais nada precisa entender o que ele é  e o porque quer trabalhar com esse tipo de divulgação. No webinar Como fazer uma estratégia de marketing de influência, foi destacado o conhecimento que a marca tem que ter do seu público, a linguagem que ele fala e qual estratégia será usada antes de decidir se irá contratar um influenciador para uma campanha.

"O que facilita a escolha e o trabalho com o influenciador é ter uma clareza muito grande do teu posicionamento: quem tu é, quem tu acredita, com quem tu te relaciona. (Andrey Dutra, estrategista de conteúdo da W3haus)"

Algo que as empresas que querem trabalhar com influenciadores têm que entender, é que não adianta olhar só para o número de seguidores que a aquele influenciador tem. É preciso ir além disso, analisar o engajamento (real) que ele tem, analisar como que ele conversa com os seguidores, qual é o seu nicho e juntos fazerem uma co-criação (empresa + influenciador) do que será feito.

Outro ponto que tem que ser levado em consideração, é que as empresas precisam entender que cada plataforma tem um narrativa e que, com isso, os públicos serão atingidos de formas diferentes.

Já o influenciador que for contratado por uma empresa, tem que ter clareza do que a empresa está solicitando e, também, sugerir formatos de posts que podem ser feitos, a partir da relação que você tem com o seu público. E uma coisa MUITO importante que não se deve esquecer, é sinalizar nas redes que aquela ação é uma publicidade.

------
Não, o assunto não se encerrou, mas para o post não ficar (mais) enorme deixei os temas "Como escolher um influenciador?" e "Como faço o marketing de influência se transformar em vendar?" para a próxima semana.