6 mulheres para acompanhar o trabalho realizado na internet

Sim, todos os dias são nossos, mas todos os anos quando chega o mês de março o que mais vemos são ações voltadas para as mulheres. No ano passado compartilhei as mulheres da minha vida que são a minha inspiração e no post desse ano, trago algumas mulheres que acompanho pela internet e que têm trabalhos maravilhosos.


Mais do que lutar por uma causa e batalhar dia após dia por melhorias para nós, mulheres, também temos que apoiar os projetos umas das outras, compartilhar, curtir e contribuir (quando for possível) com a melhoria dele. Por ser heavy user de internet acabo entrando em vários sites, seguindo várias pessoas no instagram e assistindo muitos vídeos no youtube. E no meio de tanta gente bacana, separei 6 mulheres que desenvolvem um trabalho bem bacana na internet e que vale muito a pena acompanha-las.

Thaís Lessa (@thaysslessa)
Conheci a Thaís a partir de um email do youtube com o relatório do mês do canal, e no final estava o vídeo dela como indicação. Cliquei e adorei a forma como que ela fala, o conteúdo do vídeo e como que ela transparece leveza e serenidade em cada postagem. Além do canal no youtube, a Thaís também já lançou dois e-books e um curso online. Eu comprei o e-book "30 dias de gratidão" e a cada dia  você tem uma mensagem para ler, fora o exercício de listar, no minimo, cinco coisas daquele dia por qual você é grata. É uma baita exercício e te faz dar mais valor para as coisas.

Nathália Arcuri (@nathaliaarcuri)
Se você nunca ouviu falar dessa mulher, não sei em que mundo está. Brincadeiras a parte, a Nath (olha a intimidade) é jornalista e tem um dos canais mais fodas de finanças no youtube(Me poupe!). Acompanho ela a mais de um ano, comprei o seu livro e estou me preparando pra fazer a prova pra Jornada da Desfudência. Pra quem quer conhecer sobre finanças de forma simples e com uma pitada de humor, super recomendo. Ah, e já vou avisando que você nunca mais vai querer deixar o seu dinheiro na poupança.

Nadia Schmidt [Nadica] (@nadiaschmidt)
Conheci o canal da Nádia a partir de um vídeo sobre cabelo curto, que uma amiga tinha me enviado. Na época tinha cortado o meu cabelo, pela primeira vez, joãozinho e estava me acostumando com o novo visual. Hoje a Nádia fala não só de cabelo, mas também de autoconhecimento, beleza e espiritualidade.

As fotos foram tiradas do instagram de cada uma delas


Ellen Nuvem (@ellen.nuvem) | Brandind Lab (@branding.lab)
Conheci o perfil da Ellen através de indicações e me encantei com duas coisas: 1º por ela trabalhar no marketing do Paulo Vieira e 2º pelo trabalho que realiza na área de Branding, tanto que criou um espaço próprio para falar sobre o assunto, o Branding.lab. Pelo instagram a Ellen da dicas de posicionamento na internet, criatividade e como desenvolver o seu mindset. Esse ano ela lançou um e-book com 8 exercícios pra quem busca mais inspiração e ação nos projetos que quer realizar. E ele já está na lista das próximas aquisições.

Ale Garattoni (@alegarattoni)
Acompanho a Alessandra Garattoni desde o extinto blog blog It Girls e sou apaixonada pelo conteúdo que ela produz, principalmente os voltados para blog. Hoje a Ale não escreve mais em blog (#saudades), mas compartilha todas as suas ideias, sugestões e ensinamentos através dos cursos sobre Branding e dos perfis no instagram Blog 5 sentidos (@blog5sentidos) e Amo Branding (@amobranding). Ah, e no #quadrodaale, ela compartilha frases de pessoas que admira e uma reflexão sobre ela.

Isabela Mezadri  (@ isabellamezzadri)
Quem aprender e entender sobre astrologia? Então você tem que acompanhar a Isa. De forma simples ela explica os efeitos de mercúrio retrogado, como que as fases da lua interferem no nosso eu e nas atitudes que vamos tomar, como que as viagens que fazemos estão relacionadas com o  mapa astral e como que a astrologia é muito mais do que os signos. No ano passado a Isa e a Marcinha lançaram o Energias do Mês e eu comprei o mês de dezembro. Pude entender melhor como que ia ser o meu mês (no sentido astrológico), o que deveria evitar e o que deveria dar mais atenção.

Quanta mulher foda, não! Se você ainda não segue alguma delas, está esperando o que? Tenho certeza que o trabalho delas iram agregar e, muito, na vida de vocês. Aproveito e deixo abaixo dois vídeos do quadro #GabeEntrevista de duas mulheres de Mariana que vale a pena conhecer.



Sobre o primeiro carnaval em Ouro Preto

Eu nunca fui uma pessoa animada com o carnaval. Gosto de ir em festas, gosto de dançar, mas essa vibração que muitas pessoas sentem pelo carnaval, nunca senti. Tanto que a cinco anos sigo o mesmo procedimento, toda quinta-feira de carnaval já estou dentro de um ônibus rumo a São Paulo, lendo um livro e planejando os filmes que vou assistir, as amigas que irei visitar e pensando em quantos dias vou ficar junto com o Roberto.

2019 chegou e o plano executado dos anos seguintes deu lugar a um novo, que incluía ficar em Ouro Preto, conhecer o carnaval da cidade e trabalhar pra ganhar um dinheiro extra.




Como esse ano decidi ficar aqui uma das coisas que falei pra mim mesma, é que deveria dar uma chance para o carnaval e aproveitar a minha maneira. Na quinta-feira (28 de fevereiro) fui para o baile a fantasia da Associação, dancei e me diverti. Na sexta a noite trabalhei até de madrugada e no sábado tirei o dia pra descansar.

Já no domingo trabalhei a tarde toda até o início da noite e depois fui encontrar o mozão em um churrasco. Nesse dia me desprendi de qualquer preconceito ou pensamento negativo quanto ao carnaval (e as pessoas que curtem), coloquei um sorriso no rosto combinado com uma make brilhosa e fui curtir o meu domingo.

Na segunda fiz parte do bloco Unidos do Netflix e passei o dia assistindo filmes, séries e cuidando na casa. E na terça de carnaval eu e o Roberto fomos para o centro ver como que estava a festa, dançar um pouco, beber uma cerveja e comer um tropeiro.




E o que eu achei do meu carnaval? Ótimo. Curti a minha maneira, descansei, fiquei em casa, assistir filme, dancei, bebi cerveja  e o mais importante, não me cobrei pra fazer algo produtivo.  E o carnaval de vocês, como que foi?