Assine a newsletter


Até os meus 15 anos sempre tive cabelo longo (altura da cintura), mas sempre tive vontade de cortar o curto. Brinco que essa vontade é devido a minha mãe nunca ter cortado meu cabelo curto na infância e na adolescência. E hoje em dia não consigo deixar crescer até o ombro.

Já falei em diversos posts sobre a minha relação com cabelo (como este), mas acho que nunca compartilhei no blog que uma das pessoas que me inspiraram a entrar no time das curtinhas, foi a atriz Sophie Charlote, principalmente depois da mini série “O rebu”. Acho ela linda, boa atriz, carismática e a cada mudança capilar ela acaba se transformando em uma nova pessoa e mostrando um novo lado.






O corte que foi o estopim para que eu decidisse (mesmo) passar a tesoura nas madeixas, foi o corte que ela usou na mini série “O Rebu”. Foi impossível não se apaixonar pelo corte joãozinho. E acredito que foi a partir dele que muitas mulheres (inclusive eu) percebeu que o corte pixie é muito feminino e que deixar qualquer mulher poderosa. 


Depois dele, foi um corte curto atrás do outro e o aumento do público feminino só foi reafirmando o poder que o corte curto tem e mostrando que ele vai bem com todos os tipos de rostos, tipos de cabelo e em diferentes ambientes (quando entrei na Associação Comercial estava com o meu cabelo Joãozinho). Separei alguns cortes da Sophie para inspirar quem quer aderir o visual.








E ai meninas, quem também faz parte (ou tem vontade) do grupo das curtinhas?

beijos, beijos


[Todas as fotos foram tiradas da internet e do instagram da Sophie Charlotte]
Quem acompanha o blog a mais tempo sabe que eu moro em Ouro Preto. E quem conhece a cidade (ou já conheceu) sabe que aqui a tempo costuma ser mais fresco ou é o que se espera. Fato é, desde o mês passado o calor tem tomado conta de Ouro Preto e mesmo com as chuvas no final do dia, a temperatura ainda continua alta. E pra quem trabalha de uniforme (como eu) conta os dias para chegar sexta-feira e poder usar outra roupa, como por exemplo vestidos menos formais para ir trabalhar.


E sabe qual foi a tendência que também pegou os vestidos? O vichy e o xadrez, estampas que se via (muito) mais em camisas. Hoje, você encontra vestidos com modelagens diferenciadas e que vão vem da aula para o trabalho e do trabalho para o barzinho. Separei alguns exemplos pra vocês, aqui você confere mais opções.





Falando ainda sobre vestidos (passei a gostar mais dessa peça, depois que fui aceitando melhor o meu corpo), uma das cores que adoro usar no verão e acho que tem tudo a ver com o clima, é o amarelo mostarda. Dando uma olhada em algumas lojas, notei que essa cor +, é uma combinação certeira. Um detalhe que também notei, foram franjas em vestidos, blusas sociais e jeans.




O que eu mais gosto das roupas é a possibilidade que temos em brincar com as peças, cores e acessórios deixando um pouco de lado "isso não está na moda", para "curtir essa combinação e vou sair assim". Todas as fotos do post foram tiradas do site da Zaful, que é uma loja coreana (trabalha com a mesma entrega do Aliexpress) e que vende diversos produtos.

beijos, beijos
Ei pessoas, quarta-feira trouxe pra vocês alguns modelos de biquínis para se ter na mala e hoje eu vou falar sobre biquíni para malhar. Com a tendência de termos uma vida mais saudável, o exercício é algo obrigatório para manter a saúde em dia e prevenir doenças. E quem segue a rotina de academia certinho se exercita em qualquer lugar, seja no hotel ou na praia.



Eu não sou fã de lugares fechados para fazer exercício, prefiro fazer atividade ao livre como correr, caminhar ou até mesmo fazer aulas de dança na rua. E uma das coisas que, para mim, é fundamental: é estar vestida de forma confortável. E hoje o que não faltam são opções de tops, shorts e até biquínis (sim) para fazer exercício (nesse último caso quem está na praia). Abaixo, separei alguns modelos que podem ser comprados pelo site da Zaful (já falei que eles estão no Melliuz, né).  


Mas, e com maiô Gabi dá para malhar? Claro que dá. Desde que ele seja confortável (para você), não limite seus movimentos e não incomode quando for levantar os braços, correr ou se alongar, por exemplo.


E como esse post está bem verão, com dicas de biquínis e maiôs para quem for malhar na praia (veja mais detalhes), separei alguns modelos de biquínis “diferentes” pra quem não tem medo de ficar com as tradicionais marquinhas e também para quem gosta de ousar no #lookpraia. Clicando aqui você confere mais modelos.



 
Todas as imagens eu tirei no site da Zaful, que é uma loja coreana que vende diversas coisas e eles utilizam o mesmo serviço do Aliexpress para fazer as entregas.
Agora me contém, o que vocês acharam dos modelos?

beijos, beijos
Que o Pinterest é a rede social queridinha no quesito “buscar inspirações”, isso nós já sabemos. Mas você sabia que eles levantaram 100 tendências para testar em 2018? Sim, é isso mesmo. E as apostas vão desde a área da beleza até a itens de decoração.


Para que possamos entender como que algo vira tendência (eu sempre me faço essa pergunta, quando vejo determinados itens), pesquisando o seu significado, os profissionais que trabalham levantando o “que vai ser moda”, destacam que a tendência de algo – acessório, roupa, exercícios, etc -, se resultada a partir de pesquisas aonde mostram o poder de influência desses produtos somado ao seu valor.

Tá, mas aonde o Pinterest se encaixa?

Essa semana comecei a fazer uma disciplina isolada no Mestrado na UFOP, cuja matéria se chama “Análise midiática do ambiente digital” e logo na primeira aula começamos a discutir como que as redes sociais vão se transformando a partir de uma outra. E se pararmos para pensar, o Pinterest pode ser uma evolução do Fotolog e/ou do Flickr #játiveosdois.

E arrisco disse que o Pinterest (a rede social) é a sua própria tendência, por estar se reformulando e se aproximando cada vez mais do seu usuário. Por conta do número grande de usuários (150 milhões/mensais) a plataforma identificou a partir de pesquisas algumas tendências que estão atraindo a atenção das pessoas. Não vou mostrar todas, mas separei quais são as minhas apostas (ou que pelo menos eu gostaria que pegasse).






Caso queiram ler a lista completa é só clicar aqui. Agora me contem, quais tendências vocês acham que vão pegar em 2018?

beijos, beijos

Carnaval passou e só esse mês que muita gente começou (definitivamente) o seu ano. Os planos começam a sair do papel, novos vão sendo introduzidos e viagens vão sendo programadas. É isso mesmo, meu povo. Pelo menos as minhas amigas (e eu própria) tiramos o mês de março para planejar os lugares que queremos conhecer ao longo do ano.

Para quem ainda não conferiu o calendário de feriados de 2018, se prepara que teremos bastante feriados prolongados e que são ótimos para viajar, principalmente para a praia. Como o verão ainda continua por alguns dias e dependo do lugar que você vai é calor o ano inteiro, vim falar de uma peça que é a preocupação de toda mulher. “Qual biquíni/maiô eu vou levar?”.




De uns dois anos para cá me peguei apaixonada pelo maiô, por seu uma peça única e pela possibilidade de usar  tanto na praia quanto na rua. Hoje, conseguimos entrar diversos modelos, em diversos tamanhos e de diversas cores. Acredito que ele é uma peça que se adequada perfeitamente no corpo de todas as mulheres e que ao mesmo tempo quebra um paradigma de que maiô é uma peça careta.



Já o tradicional biquíni, também vem se repaginando a cada temporada e a vontade de ter um modelo de cada um só aumenta. Alguns dos meus preferidos são o hot pants e o top. Confesso que ainda não tive coragem de tomar (muito) som com eles hahahaha. Já os modelos de biquínis que deixam o corpo mais marcado (como os daqui de baixo), temos o asa delta, cavados, tanga, cortinha , entre outros.



Difícil escolher só um neh? Quais modelos de biquínis vocês preferem?
Os modelos das fotos são da Zaful (marca coreana) que trabalha com o Aliexpress e também faz parte do Melliuz (uma parte do dinheiro da compra volta pra você).

beijos, beijos

Biquíni pra que te quero

Por as março 14, 2018
Carnaval passou e só esse mês que muita gente começou (definitivamente) o seu ano. Os planos começam a sair do papel, novos vão sendo intr...

Quem me conhece sabe que eu escolhi ficar em Ouro Preto e trabalhar com algo que não tem o jornalismo em primeiro plano (já a “comunicação” é algo constante no meu dia a dia). No início foi um pouco assustador (ainda mais porque é um público que nunca tinha trabalhado, empresários), mas com o passar dos meses fui entendo melhor minha função e acabei me apaixonado pelo que faço.

Fazendo um breve resumo, trabalho com núcleos setoriais onde as empresas de cada ramo se reúnem para levantar ações de fomento do setor. Um desses núcleos é o da Mulher Empreendedora que, coincidentemente, faz um ano de criação amanhã, dia 9. Um dos motivos que levou a criação dele foi por ter observado que dentro da Associação Comercial e Empresarial de Ouro Preto (aonde trabalho), há muitas mulheres empresárias (donas) ou que estão na gestão de algum negócio e que não se reconhecem 100% como tal. Hoje, o objetivo do núcleo é mudar essa realidade em Ouro Preto através de encontros com outras lideranças femininas, missões empresariais e diversas capacitações.

E devido ao meu trabalho e do que leio em revistas, sites e blogs sobre o empoderamento feminino, me peguei pensando: “Porque buscamos inspiração em celebridades, mulheres que estão no poder (política) ou que estão a quilômetros e quilômetros de nós, se ao nosso redor convivemos com grandes mulheres?”. Bizarro, né? Mas é verdade. Muitas vezes acabamos nem percebendo quem está a nossa volta.

Por conta desse questionamento quero compartilhar três mulheres do meu dia a dia que me inspiram a ser uma pessoa melhor e não desistir dos meus sonhos.


Impossível não colocar em primeiro lugar a mulher que me gerou e que fez (e continua fazendo) tudo por mim. Dona Zilma saiu de uma cidadezinha de Minas e foi morar em SP, trabalha a mais de 20 anos como vendedora e criou sozinha (depois do divórcio) minha irmã e eu.

Uma das características mais fortes que ela me passou, foi a força para enfrentar as dificuldades e sempre acreditar que Deus tem o melhor para mim. Mami é aquela mulher que tira do seu para dar para os outros, é a primeira a vibrar com as minhas conquistas e que, independente da distância, me ensina a cada dia a não desistir (mesmo quando tudo está um caos).


A segunda mulher que me inspira é a minha girl boss, Ercília Lima, que nos dois anos que trabalho na Associação Comercial se tornou uma amiga e minha segunda família (com irmãs e tudo). Ela foi uma das coisas boas que morar sozinha me proporcionou (contei mais nesse vídeo).

Ercília é aquela mulher que se preocupa com o seu bem-estar (desde financeiro até se a luz na sua casa voltou), te aconselha e a todo momento está te incentivando a buscar algo novo e a ir desbravar esse mundo. Ela tem uma bagagem gigantesca e um coração maior ainda. No quesito profissional, Ercília é uma das minhas inspirações devido a sua trajetória, a forma com que lidera, como lida com as situações do dia a dia e também por causa das suas percepções na hora de organizar/planejar uma atividade ou evento.


Maria Augusta Gabriela Vilela Tavares, ou simplesmente Magu, foi um presente que a universidade me deu e é a terceira mulher que me inspira por conta da sua força interna para lidar com situações que desestabilizariam qualquer um; pela sua garra em ir até o fim para conquistas seus sonhos e também pelo jeito moleca, que faz com que ela leve a vida de uma forma leve.

Magu é o tipo de pessoa que sempre está disposta a te ajudar e que a todo momento te encoraja a buscar um emprego novo, a ir estudar e a buscar novas formas de concluir seus objetivos. Há, ela também é uma ótima companheira de viagem.



Minha mãe, Ercília e Magu são mulheres que, para mim, representam um pouco de cada mulher que eu convívio e que fazem parte da minha vida. Amigas de longa data, não fiquem com ciúmes ou tristes por não ser o nome de vocês citado nesse texto, mas cada uma sabe a importância e a diferença, como mulher, que tem na minha vida.

Agora eu te pergunto: “Quais são as mulheres do seu convívio que te inspiram?”

beijos, beijos

Contei nesse post que o tema do meu ano é "estabilidade", principalmente ter estabilidade no meu trabalho e nas minhas finanças. Está sendo fácil? Não, não está. Mas uma das coisas que me propus é ser mais produtiva e buscar novas formas de rentabilidade


Nos links dessa semana, trago pra vocês uma matéria no site do Finanças Femininas, sobre as carreiras que são tendências (pra quem está afim de trocar de ramo). Já o o blog da Carla o Modices, ela falou sobre trabalhar com conteúdo destacando a importância de um portfólio e de dominar as ferramentas do trabalho. 

Ainda sobre trabalhar com internet, o blog Helene in Between traz diversos itens de como ter um blog produtivo em 2018 (em inglês). O que eu mais gostei é que o texto traz exemplos que a própria Helene testou. E, não menos importante, um post sobre o meu atual momento que é morando (literalmente) sozinha. A Júlia, do Tudo Orna compartilhou como que foi morar sozinha nos EUA (#tretas) e muitas das situações que ela contou todos nós estamos passíveis a passar. 

E vocês, o que andam lendo de bacana na internet?

beijos, beijos

Links da Semana #2

Por as março 07, 2018
Contei nesse post que o tema do meu ano é "estabilidade", principalmente ter estabilidade no meu trabalho e nas minhas finanças. E...
[atualizado dia 13/07/2020]

Estou lendo Grande Magia pela segunda vez e, novamente, esse livro me trouxe diversos insigths e aprendizados. Ele fala sobre a criatividade, mas também fala muito sobre o medo. A autora, Elizabeth Gilbert, fala como esse sentimento (medo) e o estado (criativo) andam de mãos dadas, e que um não nada sem o outro.

Ela também aponta que a criatividade é aquele frio na barriga antes de tomar uma decisão, porque os resultado são insertos e é, muitas vezes, por não sabermos o que esperar que tomamos a decisão de ir ou ficar.

Um dos pontos que gostei e achei interessante, é quando ela fala que começou a fazer aulas de desenho como uma forma de abrir outro tipo de canal criativo na mente. E que Einstein chamava essa tática de "jogo combinatório": a exploração de um canal mental para abrir outro. E faz todo o sentimento. Quando eu preciso escrever sobre algo específico eu vou ler, vou assistir séries, vou fazer algo que estimule a minha mente, mas que não seja relacionado aquele projeto que preciso fazer.


Meses antes de me formar em Jornalismo (primeiro semestre de 2016) passei por algumas crises existenciais. Estava morrendo de medo do que viria depois; não sabia se ficava em Ouro Preto ou voltava para São Paulo; não sabia se tirava seis meses para ir morar com o meu pai e tentar mercado em Floripa e não sabia se eu me sairia bem no mercado de trabalho depois de formada.

Foram alguns meses de angústias, mas que serviram para que eu repensasse os meus planos, aonde queria (quero) chegar e quais coisas quero conquistar. Esse tempo também fez com que eu passasse a acreditar mais no meu potencial e a buscar inspirações em pessoas que estavam (e continuam) ao meu redor e, principalmente, a buscar conhecimento em livros (#paixão).

 E em meio a tantos títulos sobre criatividade, empreendedorismo e sobre como fazer as atividades do dia a dia com entusiasmo, escolhi o livro Grande Magia, de Elizabeth Gilbert (mesma autora de Comer, Rezar, Amar), para dar início a essa saga. Foi o livro certo para o momento que estava passando.

Em Grande Magia, Elizabeth conta de uma forma leve a sua vida e o que para ela significa criatividade. A cada capítulo, ela mostra que independente dos significados que a palavra criatividade possa ter, ela está em todos os lugares e em todos os momentos.

A autora também fala de como (muitas vezes) o medo nos impede de sermos criativos e que por conta disso deixamos de viver novas coisas ou avançar no que já estamos fazendo, por exemplo subir de cargo em uma empresa.


"Sem coragem, nunca conseguiriam concretizar a vasta extensão das próprias capacidades. Sem coragem, nunca conheceriam o mundo de maneira tão rica quanto ele anseia ser conhecido. Sem coragem, suas vidas permaneceriam pequenas - muitos menores do que provavelmente queriam que fossem."

Veja também:

“Sinopse:
De volta a não ficção, Elizabeth Gilbert compartilha histórias pessoas, de amigos e pessoas que sempre a inspiraram, e reflete sobre o que significa vida criativa. Segundo ela, ser criativo não estar voltado exclusivamente às artes: uma vida criativa é aquela motivada pela curiosidade. Uma vida mais ampla, um ato de coragem. 
A partir de uma perspectiva única, Grande Magia nos mostra como abraçar essa curiosidade e nos entregar àquilo que mais amamos: escrever um livro, encontrar novas formas de lidar com as dificuldades no trabalho, embarcar de vez em um sonho sempre adiado ou simplesmente acrescentar paixão à vida cotidiana. Com profunda empatia e generosidade, Elizabeth Gilbert oferece poderosas reflexões sobre os mistérios da inspiração.”

"[...] faça aquilo que o estimula. Siga suas fascinações, obsessões e compulsões. Confie nelas. Crie aquilo que faz seu coração bater mais forte."

Grande Magia é leve de se ler e o que eu mais gostei é que em cada frase do livro, Elizabeth conversa com o leitor fazendo com que ele faça parte de cada história.

beijos, beijos

Carnaval acabou, houve muitos glitters e muitos produtos foram usados em cada produção, principalmente os de maquiagem. Eu não sou muito carnavalesca, mas todas as festas que vou faço uma make mais elaborada e já sinto, no dia seguinte, a minha pele pedindo um pouco mais de atenção.



Que devemos cuidar bem da nossa cútis, isso já sabemos. E também, sabemos, que a rotina envolve limpar, esfoliar, tonificar e hidratar. Mas, e as máscaras faciais? O que vocês acham delas? Eu adoro e, particularmente, acho que são uma ótima opção na hora de dar “boom” na limpeza de pele.

Uma das rotinas que tenho adotado são as máscaras faciais, em especial as da Avenca. O primeiro produto que testei da marca foi a máscara preta e foi por acaso, vi na farmácia, achei barato, comprei e adorei. Depois desse dia, passei a usar sempre a máscara preta e fui pesquisar mais sobre a marca.

A Avenca Cosméticos é uma empresa brasileira que “foi criada para atender o conceito de fabricar resultados aos usuários de seus produtos”. Eles possuem seis produtos, sendo eles a Máscara Preta (removedora de cravos), a Máscara Golden 24k (hidratante), Top cream (creme pós sol/piscina para os cabelos), Idealy (lifting instantâneo), Máscara porcelana (ameniza olheiras, clareia e da elasticidade a pele) e o Hidratante facial. A Avenca também tem a linha Acneed que são dois sachês, o primeiro é o sabonete de limpeza e o segundo é a máscara de argila.

No final do ano passado recebi deles um kit de natal contendo outras máscaras que ainda não conhecia, a de argila para as espinhas e a máscara de porcelana. Aproveitei que fui pra SP e testei as duas com outras pessoas, a de espinha com a minha irmã e a de porcelana com a minha amiga. Abaixo segue um breve relato do que achei dos produtos.



Máscara preta: Sobre a textura, pra mim, ela poderia ser um pouco mais homogênea e não tão liquida. Algo que poderia vir junto da máscara é uma espátula para ajudar na hora na aplicação, assim haveria menos desperdício de produto. Fora isso, ela cumpre o que promete e além de retirar os cravos limpa a pele.

Lifting Instantâneo: custei um pouco para entender qual era o papel dele. Usei só uma vez e por não ter linhas de expressão fica difícil ver a real funcionalidade dele. Depois que segui o passo a passo (passar em volta dos olhos, nos “pés de galinha”, dando batidinhas) ele deixou um leve ardido na região que passei. Não tenho expressões na região dos olhos, então não posso falar se o produto cumpriu ou não o seu papel.

Máscara de argila para as espinhas: experimentei com a minha irmã e um sachê deu para as duas. Eu não tenho muita acne e deixei para usar o produto na época que elas costumam aparecer (período menstrual). Por ela ser mais consistente foi mais fácil de passar. Eu gostei muito do resultado que ela deu no meu rosto, secou as espinhas que tinham nascido e não deixou marca. Sem contar que deixou a pele do rosto com um viso saudável.

VEJA TAMBÉM

Máscara porcelana: A máscara de porcelana eu testei com a minha amiga e o objetivo dela é dar mais firmeza na pele e clarear, principalmente as olheiras. No site da Avenca já vem sinalizando que para um bom resultado é preciso usar de duas a três vezes por semana. Mas, mesmo usando só uma vez, o que eu notei foi que deixou a minha pele hidratada e com um brilho saudável. Um sachê dá para duas pessoas ou duas sessões, o produto tem uma consistência mais firme e tem cheiro agradável.

Máscara Golden 24k: Está com o rosto ressecado e precisa de um produto para dar vida a ele? Esse é o papel da Máscara Golden. A sua função é hidratar e recuperar o brilho da pele. Como o meu rosto é oleoso usei a máscara nos dias em que estava frio em Ouro Preto, porque é quando ele tende a ficar um pouco mais seco e o resultado foi positivo.

O custo benefício dos produtos é bom e você encontra eles tanto em sachê quanto em bisnaga. O preço é partir de R$20,00 e no site da Amazon, tem outros produtos da marca como hidratante facial para todos os tipos de pele e o creme facial anti sinais. Pra conferir, é só clicar aqui.

Lembrando que, essas são as minhas opiniões quanto aos produtos e que eles podem ter um resultado diferente em outras pessoas. Agora eu quero saber, vocês usam as máscaras da Avenca?


Beijos, beijos