Batons pra quem tem aparelho

Eu sempre tive vontade de usar óculos, até que há uns sete anos atrás fui no oftalmo e ele disse que eu ia precisar usar pelo menos durante as leituras. Um dos desejos já tinha conseguido. O segundo, era usar aparelho e deixar o sorriso lindo. Esse sonho fui realizar só depois de adulta, já universidade e pagando do meu próprio bolso.

Mas o assunto do post não é sobre procedimento ou valores, e, sim, sobre sorrir depois que colocamos aparelho com destaque para batons que ficam em quem tem “boca metálica”.



Algo que passei a reparar depois que coloquei o aparelho, foi que muitas meninas tinham (tem) vergonha de sorrir por causa do aparelho. Confesso que no início do tratamento eu também tive um pouco de vergonha, mas hoje saio sorrindo pra todo mundo e até quando estou com os elásticos hahaha.

Já fez um ano que estou de aparelho e nesse tempo já usei batons de diversas cores. Hoje trago pra vocês quais são os meus preferidos, e que ornam melhor com quem (na minha opinião) usa aparelho.



#TonsEscuros: Duas cores que mais estou usando são o roxo e um marsala/vinho/rosa escuro da Ricosti (ainda não descobri que cor é hahaha). Como gosto de make básica para trabalhar e atualmente estou usando apenas protetor, corretivo e bluhs no dia a dia, o batom escuro já se destaca e dar um ar de “demorei muito fazendo essa maquiagem”. Sem contar, que a durabilidade é boa.

#TonsTerrosos: Outra cor que gosto bastante é o marrom mais aberto. Tem um batom da Quem disse? que a cor é m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-a (ele não está na foto, porque acabou) e ele é um marrom com tom alaranjado bem suave.

#TonsVibrantes: E, claro, que não podia deixar de fora os batons vermelhos e laranja. Essas cores eu gosto de usar mais durante o dia, principalmente o laranja.


Lembrando, que tudo é uma questão de gosto e tentativas. Tem algumas cores, como o rosa, que tem dias que eu gosto do tom e tem dias que não. Como são as roupas, a maquiagem não serve só para esconder uma olheira, uma espinha ou realçar determinada parte do rosto, ela também deve ser usada de forma leve e sem burocracias.

As meninas que tem ou que já tiveram aparelho, quais são as cores de batons preferidas de vocês?

beijos, beijos

Aonde se hospedar e comer em Brasília

 O post de hoje é de um dos temas que eu adoro falar, viagens. Quem acompanha o blog ou me acompanha no IG (@gabippsousa), viu que a minha última viagem foi para Brasília. Fui para a cidade participar de um congresso e mesmo com a programação apertada de palestras e trabalho (estava cobrindo para a Federação das Associações Comerciais), consegui conhecer alguns pontosturísticos  e alguns restaurantes. E hoje, vim compartilhar com vocês o hotel que fiquei e os locais que fui à noite para jantar.


A parte hoteleira de Brasília é divido em setor norte e setor sul, e na época que fui para lá fiquei hospedada no setor norte, no Hotel Athos Bulcão. Ele fica em frente ao Brasília Shopping e a poucos minutos do Eixo Monumental. O Hotel tem arquitetura moderna, o apartamento que fiquei (duplo) era grande e além das camas, também tinha uma pia com bancada. A estrutura do hotel é ótima e o café da manhã é divino.  


Vista da sacada do quarto

Toda trabalhada na concentração haha

Fachada do hotel



Já no quesito restaurantes, o primeiro que conheci foi o Vila Cinco que fica em frente ao hotel, colado ao Brasília Shopping. Fui lá a noite e como na época a gripe estava me pegando, principalmente a garganta, pedi um lanche natural. O cardápio é bem variado e tem desde salada de camarão, passando por hambúrguer até prato executivo (arroz, carne de boi e fritas).

O restaurante não é tão grande, mas também não é pequeno e como a iluminação não é tão forte, o ambiente fica bem acolhedor.

Foto tirada do google
Salada de camarão

Lanche com carne de boi, alface e tomate
E outro restaurante que jantei, foi o Coco Bambu. Conhecia a rede só por nome e sempre tive vontade de ir, até que apareceu a oportunidade. A Federaminas fechou um dos ambientes do local para a comitiva de Minas e o grupo de, mais ou menos, 40 pessoas foram super bem atendidas e sempre tinha um garçom por perto. Há, ele também fica na frente do hotel Athos. 

Eu adorei a comida, desde o tira gosto até o prato principal. Acabei não anotando o que comi, mas lembro que teve camarão, salmão, u outro tipo de peixe e carne de boi. De sobremesa foi um bolo com sorvete.

Foto retirada do site do restaurante


Eu sou muito “a primeira impressão é que fica” e com certeza voltaria aos restaurantes (quero visitar a unidade de BH) e no caso do hotel, já adicionei a rede Hplus no caderno de viagem pra quando for planejar as próximas viagens.

beijos, beijos

Como que está sendo a busca por estabilidade [tema do ano]


Esse ano eu decidi que iria escolher uma palavra para gerir o meu ano, ao invés de listar diversas metas. Nesse post contei que a palavra escolhida foi “estabilidade” e no post de hoje resolvi colocar no papel (ou melhor no word hahaha) como que tem sido a busca dessa estabilidade durante esses sete meses.



Já compartilhei no blog e nas minhas redes sociais que 2018 está sendo um ano de novas decisões e novas experiências e ter estabilidade em todas as áreas da minha vida, não está sendo fácil.

Uma das estabilidades almejadas para 2018 foi morar junto com o Roberto. Já perdi a conta de quanto já gastei com as viagens para São Paulo e passar 2 ou 3 dias com ele, já não estava sendo o suficiente para suprir a saudade. E depois de algumas conversas e decisões, Roberto se mudou para Ouro Preto. O coração ficou mais calmo, a saudade foi embora e uma nova vida se iniciou.

Já a estabilidade financeira está sendo a mais difícil. Nesse ano o meu salário diminuiu drasticamente e fazer com ele se multiplique, para cobrir todas as contas, nem todos os meses essa foi uma tarefa bem-sucedida. Mas a gente continua tentando. Nas outras áreas – amigos, família, viagens -, a estabilidade está nos conformes.

E para esse segundo semestre, continuo na busca da estabilidade e equilíbrio na minha vida.
E como andam as metas de vocês desse ano?

beijos, beijos