Assine a newsletter

Entre os dias 07 e 10 de setembro aconteceu a 15º edição da Beauty Fair, feira de beleza aonde as marcas apresentam quais são os lançamentos para a pele, cabelo, maquiagem, equipamentos, penteados, cores, etc.

A feira traz a oportunidade dos lojistas, revendedores, criadores de conteúdo, cabeleireiros, esteticistas e profissionais do setor, conhecem (em primeira mão) as novidades e participarem dos congressos que acontecem simultaneamente a feira.

Dos quatro dias de feira, eu fui em três e voltei com muito conteúdo pra ser compartilhado aqui no blog. E no post de hoje trago quais são os lançamentos da área de beleza, quando eles chegam para o público e quais gostei mais.


Atualmente, quando se fala de beleza a primeira coisa que vem em mente é skin care. Sim, as marcas estão investimento cada vez mais em produtos de tratamento, limpeza e que vão deixar a nossa pele com mais saúde. Uma dessas marcas, é a Ruby Rose que lançou a linha Argila Rosa que tem produtos tanto para o rosto, quanto para o cabelo e também máscaras faciais, daquela de papel que serve para uma única aplicação.

A Bel Col lançou uma linha de produtos para peles com acne, sendo alguns: Tri-End Mask que tem a função de selagem, combatendo o principal agente da acne aumentando as defesas naturais da pele. Já o Tri-Tonic reduz o brilho e os sinais excessivos da acne na pele e o Clear Plus higieniza e prepara a pele para receber o tratamento.

Algumas fotos foram tiradas na feira e outras retirada do instagram ou site da marca

Para o corpo a BioAge lançou a linha Renovage Y-Shape para profissionais e home care, sabonete e máscara clareadora íntima da linha Bio-Whitening, Bio-Mask Skin Force, Lipo Redux Creme de Massagem Firmador e o Bio-SunProtec FPS 30 Ultramate (para peles oleosas).

Uma das marcas que estava pela primeira vez na Beauty Fair e que vem crescendo e expandindo os seus negócios, é a Deseninchá. Se você nunca ouviu falar, da um google porque os chás da marca é um dos queridinhos de muita gente. Para a feira eles lançaram a linha Matchá, da DesincháBeauty, com o Séru Reset (controla a oleosidade, suaviza manchas, tem proteção urbana, rico em antioxidante  e o Balm Hialurônico.


Fotos retiradas do instagram das marcas

Já viu que a desculpa de não ter produtos para a pele ou que não sabe o que usa, é "balela". As marcas estão investindo pesado nos itens de skin care e tem para todos os tipos de pele, e tipo ($$) de bolso. Lembrando que o básico você pode fazer em casa, que é limpar, passar protetor solar, hidratar e esfoliar. E tratamentos e produtos mais complexos, devem ser usados com indicação de um dermatologista.

E para conferir os lançamentos da Beauty Fair de maquiagem e cabelo, continuem acompanhando o blog que eles vão sair nas próximas semanas.

beijos, beijos
O Google AdSense é uma plataforma de publicidade onde os donos de sites, blogs, aplicativos e vídeos podem se inscrever, para exibir diversos formatos de anúncios e com isso ser remunerado por esta inserção com um percentual do valor pago pelo anunciante.

Para criadores de conteúdo que estão começando a monetizar um canal no Youtube, uma das dúvidas mais comuns é quando e como receber a remuneração do AdSense. Eu mesma sempre tenho alguma dúvida sobre pagamentos, dados que precisa cadastrar, por qual banco receber e no post de hoje trouxe algumas dicas da Husky, fintech que ajuda no processo de recebimento de pagamentos internacionais.


Quando eu começo a receber o meu dinheiro?

O primeiro passo é entender quais são as etapas que antecedem o seu pagamento, ou seja, saber se sua conta já está apta.

Para isso acontecer, é necessário atingir US$ 10  (dez dólares) em ganhos na sua conta. Feito isso, o Google enviará pelo correio uma carta no endereço cadastrado com um PIN. O PIN é um número de identificação pessoal para ajudar a manter a conta segura, antes de emitir os pagamentos.

Depois você insere esse código na conta com as informações bancárias. Por fim, acumule no mínimo $100 (cem dólares) em ganhos para liberar as transferências e receber o dinheiro.

O Google paga em dólar. Como eu recebo no Brasil? 

Por ser uma empresa americana, o Google emite seu pagamento em dólares americanos. Atualmente, a única forma de receber o valor no Brasil é por transferência eletrônica internacional para um banco de sua escolha.

É uma forma rápida e segura e você recebe o dinheiro convertido em reais na conta bancária especificada.

Não tenho uma conta bancária internacional. O que devo fazer? 

Hoje não é possível receber um pagamento em uma conta corrente do qual não pertença ao titular da conta do Google AdSense. Isso porque os pagamentos são intransferíveis. Para quem precisa receber algum valor, a Husky possui uma conta bancária internacional e auxilia os usuários que precisam receber do Adsense.

A Husky monitora os pagamentos e assim que é identificado, o cliente recebe uma notificação solicitando o comprovante do Adsense que pode ser enviado pelo app. Todos os detalhes da conversão do dinheiro do exterior para reais são enviados por e-mail e o pagamento chega na conta bancária em qualquer banco brasileiro.

Quais os documentos necessários para receber pagamentos internacionais?

Para receber pagamentos como pessoa física ou jurídica não é necessário nenhuma documentação. Basta baixar o app, disponível na Play Store e App Store, seguir o passo a passo e em alguns minutinhos a mágica acontece. ;)

A Husky confirma apenas alguns dados pessoais. A empresa é 100% digital e não gosta de perder tempo imprimindo ou indo até os Correios. Quando precisar enviar algum documento, vai ser apenas uma foto ou PDF.

Como cadastrar os dados bancários no Google AdSense?

Com a Conta Bancária Internacional criada, vá no seu painel do AdSense, clique nas opções do “Saldo” e depois em “Visualizar Pagamentos”. Dentro da tela de pagamentos, clique em “Adicionar Forma de Pagamento”. No formulário você irá adicionar os seguintes campos:

Nome na conta bancária

Nome do banco

SWIFT (BIC)

IBAN

A forma de preencher esses campos, são enviados por email pela equipe da Husk e não é necessário  preencher os outros que aparecem no painel do Adsense. Depois que você segue o passo a passo e clica em "salvar”, vai aparecer  novamente a tela de pagamentos. Clique em “Escolha a Forma de Pagamento”. Ao clicar, você verá a sua conta Husky cadastrada. Você deve clicar onde está escrito “Nenhum”, e alterar para “Principal”. Pronto!

O que é SWIFT e IBAN? 

O SWIFT é o código de identificação único do banco que você escolheu para receber seu pagamento. Ele tem entre 8 e 11 caracteres.

O IBAN (International Bank Account Number) é o número de identificação da conta para transações internacionais. É composto por 29 caracteres que inclui alguns dados como o código do país, agência, conta do cliente e tipo de conta.

Seguindo esses passos, será possível receber o pagamento do Google sem dor de cabeça e sem se preocupar com as taxas abusivas que, muitas vezes, são cobradas pelas instituições bancárias.

O Google Adsense não está só ligado ao youtube, mas também a blogs e essa é uma forma de monetizar essas duas plataformas e ganhar dinheiro com o conteúdo produzido para a internet. Mas se engana quem pensa que é só criar uma conta no youtube e abrir um blog que pronto, já estou apta. É preciso ler no no site do google Adsense quais são os critérios para rendimentos via blog e quais são os critérios do youtube. É um trabalho de formiguinha, mas é sim possível transformar o seu trabalho na internet em uma fonte de renda.


Sobre a Husky - O aplicativo facilita a vida de quem precisa receber pagamentos profissionais de empresas estrangeiras, suportando pagamentos enviados de mais de 200 países e em 37 moedas. Enquanto o mercado tradicional cobra várias taxas para esse tipo de serviço, a empresa trabalha com uma porcentagem dinâmica que é reduzida pela indicação de amigos, chegando até à taxa zero, ou ainda gerando cashback para seus clientes. A fintech também introduziu recentemente o conceito de Empresa Digital, oferecendo serviços de contabilidade, assessoria jurídica e tributária, reduzindo a burocracia que um profissional liberal enfrenta para atender clientes brasileiros ou internacionais. https://husky.io/
Eu amo ler, se deixar passo horas dentro de uma biblioteca e gasto sem dó com livros e revistas. Esse é um hábito que cultivo desde criança e nesse ano voltei a dar mais atenção a ele. Pra mim, os livros nos transportam para dentro das histórias e faz com que a gente sinta tudo que está acontecendo com o personagem. Mas eles também servem (e muito) para que aprendamos sobre determinado assunto, sobre a história de vida de alguém e também fazer com que nos conheçamos melhor.

No ano que me formei (2016) eu passei por uma crise interna que me fez ficar em um estado que nem eu mesma me reconhecia. Ao mesmo tempo que durante o dia eu era só sorrisos, motivação e "bora tirar esses projetos do papel", quando chegava o fim de semana eu perdia a direção e só queria assistir TV.

Já estava sentindo que algo não estava indo bem e decidi ir atrás de livros que me confortassem, que estimulasse o meu cérebro a pensar sobre aquela situação, que me trouxesse um ânimo (verdadeiro) para fazer as coisas e que me desse um cagalhão sobre os planos atuais e do futuro.



O primeiro livro que li foi "Grande Magia - Vida criativa sem medo", de Elizabeth Gilbert (autora de Comer, Rezar e Amar) e ele fez com que eu parasse e analisasse o que está ao meu redor e pensar, em como que aquela situação ou aquele momento poderiam me inspirar. A Grande Magia fala sobre criatividade e que, tem sim as pessoas que nascem com esse lado mais aflorado, mas que é algo que pode ser estimulado e que a criatividade está em todas as atividades que desempenhamos.

O que mais gosto em Grande Magia é linguagem que a Liz utilizada de proximidade. Ela fala sobre criatividade a partir das suas próprias histórias e histórias de amigos.
[...] Não; quando falo de 'viver criativamente', estou falando de maneira mais ampla. Estou falando de viver uma vida mais motivada pela curiosidade do que pelo medo. E, embora os caminhos e os resultados da vida criativa variem muito de pessoa para pessoa, uma coisa eu garanto: uma vida criativa é uma vida mais ampla. É uma vida maior, mais feliz e muito, muito mais interessante. Viver dessa maneira - contínua e obstinadamente trazendo à tona as joias escondidas dentro de você - é uma arte em si. Porque é na vida criativa que sempre estará a Grande Magia". 
O segundo livro que li e que me fez sair da zona de conforto foi "O Poder da Ação", de Paulo Vieira. Já tinha ouvido falar nele, lia alguns textos na internet, mas quando apareceu a oportunidade de comprar o livro, não pensei duas vezes.  O que eu gostei nele, é que a cada capítulo tem exercícios para você fazer e colocar no papel (literalmente) como que está o seu modelo mental, quais objetivos que deseja realizar, qual é o plano de ação que vou traçar pra alcançar o que desejo, entre outros.

Enquanto escrevia esse post, fui reler o que tinha escrito no livro e me surpreendi com os relatos. Alguns consegui concluir, outros comecei e parei e outros que nem saíram do papel. Eu li O Poder da Ação no primeiro semestre do ano passado e tinha acabado de ir morar sozinha em Ouro Preto  e precisava de um conforto e de algo que me dissesse "que tudo ia ficar bem". O livro também te ajuda a avaliar o seu atual momento, como que ele está refletindo nas suas atitudes e resultados.

O terceiro livro que li e recomendo é o Me Poupe!, da Nathalia Arcuri. Ele é simples, didático e te mostra que com pequenas atitudes a sua vida financeira pode mudar para melhor ou pior (eu espero que pra melhor). Como o Paulo Vieira em O Poder da Ação o livro da Nath também traz exercícios entre um capítulo e outro e durante a leitura, você começa a ter consciência de como que está a sua vida financeira, o que precisa mudar e quais estratégias você continua aplicando. Li o Me Poupe! no início desse ano e ele foi um dos pontapés para que eu começasse, de fato, a me organizar financeiramente.

E a minha quarta leitura é o e-book Tenha o Seu Próprio Projeto, da Ellen Medeiros. Esse eu ainda não terminei porque ele é exercício do início ao e é voltado pra quem quer tirar o seu projeto online do papel. Nas poucas páginas que li e nos exercícios que fiz, uma coisa que observei é que o e-book também serve como uma ferramenta de autoconhecimento, principalmente no que diz respeito ao branding pessoal. A Ellen também compartilha sobre o tema no instagram @branding.lab, vale a pena seguir.

Entre os mais de 30 livros que tenho, escolhi esses quatro porque são os que tiveram um significado bem forte na minha vida nesses últimos três anos. Agora me conta, você já leu algum desses livros? O que achou?

beijos, beijos

À aproximadamente dois anos o modelo de sapato mule voltou com tudo e as marcas começaram a apostas em diferentes tecidos, estampas e design. Na época vi um mais lindo do que o outro, mas ainda não tinha experimentado um e, com isso, acreditava que não ia me acostumar com ele (por ser aberto no calcanhar) e que não combinaria comigo. Grande ilusão minha.

Em julho, antes de ir pra São Paulo curtir as minhas férias fui em (praticamente) todas as lojas de calçados de Ouro Preto, atrás de um sapato confortável, bonito e que desse para ir trabalhar. E adivinhem? Comprei uma mule para chamar de minha e desde então, só ela que vem reinando nos meus pés (ahahaha)



O mule foi febre nos anos 90 e encontramos modelos de bico fino, bico redondo, com pedrarias, em cetim, em camurça, etc. Uma das coisas que gosto é a versatilidade que o sapato tem e a possibilidade de usá-lo em diversos ambientes. Uma das dúvidas que podem surgir, é como combinar o mule com as peças que tem no guarda-roupa e, pensando nisso, trouxe alguns looks para inspirar e mostrar que vale a pena dar a chance para ele.




O meu mule é da Vizzano e o que gostei nele é o detalhe do nó, que dar um ar mais clássico para o sapato. Mas, já estou desejando um com pedras e um de onça, aqui têm mais modelos de mule para conferir. Agora me conta, o que você acha do mule? Já tem para chamar de seu?

beijos, beijos
Não vou começar esse texto falando que amo meu aniversário, porque estaria mentindo pra você (que me lê) e, principalmente, para mim. Mas começo dizendo que a uns três anos, fazer aniversário vem se tornando uma felicidade extra.

Sim, eu gosto de fazer aniversário, gosto de sair pra comemorar, mas comparado a algumas pessoas, não saio por ai soltando fogos e gritando aos quatro ventos que estou ficando mais velha. Gosto de uma bagunça contida, de passar o dia ao lado de quem amo, de receber carinho de quem tem sentimentos bons para comigo, de colocar a roupa preferida, de fazer uma maquiagem bacana e, claro, de ter bolo e velas para soprar. E essa sempre foi uma exigência, aniversário tem que ter bolo.


Pra mim, fazer aniversário é sinônimo de mudança (geralmente ela sempre vem acompanhada de um corte novo), de agradecer tudo que vivi na idade que passou e mentalizar o que quero para o novo ano de vida. E os meus 25 foram marcados de muitas mudanças. Mudança de casa, mudança de status de relacionamento, mudança de rotina, mudança de salário e mudança de planos.

Para os meus 26 anos eu quero pautar as minhas ações e escolhas em duas palavras: planejamento e coragem. E como dizem que escrever é uma forma de tornar esses desejos mais concretos, listei as 26 coisas que desejo para mim mesma.

1. Quitação das minhas dívidas
2. Manter o planejamento financeiro
3. Investir todos os meses, mesmo que seja R$5 (Sicoob) e R$30 (Tesouro)
4. Mais atenção a saúde (check-up)
5. Divulgar mais o meu trabalho com o blog e como jornalista
6. Não deixar que o medo me paralise
7. Fazer da atividade física um hábito
8. Me dedicar mais aos projetos pessoais
9. Aprender coisas novas e aplicá-las no meu dia a dia
10. Usar a minha habilidade de adaptação para as coisas que estão por vir
11. Manter o pensamento positivo
12. E deixar tudo nas mãos de Deus
13. Muitas risadas e muito amor com o Roberto
14. Pessoas saudáveis ao meu redor (que querem o meu bem)
15. Ter sucesso em todas as atividades que desempenhar
16. Sempre tirar um tempo para ler um livro, tomar uma taça de vinho e ficar com as amigas
17. Respeitar os limites do meu corpo, principalmente em relação ao sono
18. Viagens (lugares próximos ou mais distantes)
19. Ter mais primeiras vezes
20. Não duvidar do meu potencial
21. Aprender a abrir mão de algumas coisas, com tranquilidade
22. Aperfeiçoar a minha forma de ensinar
23. Planejar menos e tirar a ideia logo do papel
24. Estar em contato com profissionais/pessoas inspiradoras
25. Manter o meu detox digital de todas as noites (paro de ver as redes sociais a partir das 22 horas)
26. Ter sempre o brilho no olho, nas atividades mais simples do dia a dia

Feliz aniversário para mim!

beijos, beijos
Eu sempre gostei do meu cabelo natural, mas desde a adolescência preferia ele escovado. Gostava dele longo, com as pontas repicadas e achava (ainda acho, mas não em mim) lindo quando ele estava liso e ficava com várias camadas. O tempo foi passando, fui descobrindo novas formas e novos cortes de usar o meu cabelo, descobrindo o que mais combina comigo e com a minha personalidade.

Quem me conhece a mais tempo sabe das transições capilares que passei e a que permanece até hoje, é o cabelo curto. Me encontrei nesse corte em 2013 e desde então, nunca mais consegui deixa-lo crescer até o ombro.


Já contei nesse post e nesse a minha relação com as madeixas e o corte que tem me representado é o pixie com os fios enrolados, em sua forma natural. Atualmente ele está chanel com base reta (a vontade de cortar já está gritando) e tenho usado repartido ao meio, com os cachos emoldurando o rosto.

Em novembro passado, quando decidi cortar joãozinho e que iria usar ele natural, comecei uma busca por produtos para cabelo enrolado e, principalmente, inspiração de cortes curtos em cabelo enrolado/cacheados. 

E mesmo com o aumento de mulheres que estão assumindo os cachos, seja passando pela transição capilar ou deixando de fazer escova, ainda assim, é difícil achar inspiração de cortes. 

VEJA TAMBÉM


Como essa também é uma dor minha, fiz uma busca pelo pinterest, instagram e google e trouxe 20 cortes para nos inspirar (inclusive os meus cortes), e mandar embora aquele pensamento de "não vou cortar curto, porque o meu cabelo é cacheado e não vai ficar legal".





É sempre bom lembrar que um bom cabeleireiro (se for um especialista em cortes cacheados, melhor ainda) é fundamental para que o corte fique do jeito que você quer e que usar produtos adequados também faz diferença na saúde dos fios, curvatura, brilho, maciez, frizz e volume.

beijos, beijos