25 coisas que realizei e por qual sou grata

Eu não sou muito de aniversários, mas gosto sim de comemorar, de sair, de estar com as pessoas que gosto, mas não é aquela empolgação blaster. Mas esse ano está sendo diferente, comecei o mês animada e fiquei contando os dias para que o dia de hoje chegasse. E eis que a data chegou e esse ano o meu aniversário está sendo com um gostinho diferente.

2018 foi o primeiro aniversário (depois de muito tempo) que não passo sozinha. Primeiro aniversário na minha casa, primeiro aniversário que me sinto mais adulta e mais mulher. E esse ano completo 25 anos e quando para para pensar em tudo que já conquistei, tudo que realizei e por tudo que sou grata, o coração se aquece de alegria e de satisfação por tudo que já conquistei. E no post de hoje decidi listar (e relembrar) alguns desses momentos.


1. Passei no curso técnico de secretariado;
2. Um mês depois de completar 18 anos consegui o meu primeiro emprego e de carteira assinada;
3. Passei (novamente) no técnico, mas dessa vez para fazer moda
4. Conquistei a minha liberdade financeira;
5. Tomei decisões que impactaram o que sou hoje;
6. Larguei um amor para dar uma chance para um novo amor;
7. Em 2012 foquei no meu sonho, mas ao mesmo tempo me livrei de algumas amarras e do que me impedia de ser eu mesma;
8. Foi em 2012 que eu entre na Universidade Federal de Ouro Preto;
9. Saí de casa para viver uma nova vida;
10. Nesse tempo, fortaleci amizades e tive certeza que o novo amor que tinha escolhido me acompanharia a todos os lugares;
11. Morei e estudei por 6 meses em outro país;
12.Ganhei uma família colombiana;
13. Ouro Preto me acolheu e me mostrou que eu ainda tenho muitas coisas para realizar nessas terras;
14. Fui contratada antes de me formar;
15. Recebi uma placa "case de sucesso" por conta do trabalho que realizo na Associação Comercial
16. Roberto disse que iria se mudar para Minas E já faz um mês que estamos morando juntos;
17. Fui pedida em noivado;
18. Nos últimos cinco anos viajei para: Guarapari, Porto Alegre, Floripa, Araxá, Brasília, Aracaju além de, ter conhecido tantas outras cidades próximas de Ouro Preto;
19. Criei o meu blog pessoal e em menos de um ano já fechei parcerias bacanas e estou tendo um retorno gratificante do público;
20. Em 2015 passei a virada do ano em um acampamento de ciganos e produzi um documentário foda, com uma grande parceira;
21; E que por acabou se tornando uma grande amiga. Um dos presentes que a universidade me deu;
22. Ganhei uma nova família (mãe e irmãs) de Ouro Preto;
23. Morei em cinco casas diferentes durante a graduação e cada uma delas me ensinou a ser uma pessoa melhor;
24. Me apaixonei pelo meu trabalho e pelo caminho profissional que estou trassando;
25. E hoje, com 25 anos, só tenho a agradecer a Deus por tudo que ele fez e faz por mim.

Happy Birthday to me.

beijos, beijos

Aonde se hospedar e comer em Aracaju


Semana de feriado prolongado e sei que muitas pessoas estão com viagem marcada. Quem não está, com certeza já está planejando o que fazer nos três dias de folga. Eu irei ficar em Ouro Preto, mas quem está com passagem comprada para Aracaju (ou pretende conhecer a cidade) reuni em um único post os locais que almocei/jantei/tomei uma cerveja e a pousada que fiquei.


Começando pela hospedagem, a viagem para Aracaju foi um presente que a minha amiga Magu e eu nos demos como presente de formatura. Depois de fazer algumas viagens e sempre ficar hospedada na casa de conhecidos, decidimos que dessa vez iriamos ficar em algum hotel ou pousada.

Como já tínhamos delimitado um valor para gastar nessa viagem, a hospedagem não poderia ficar muito cara, por isso acabamos optando por não ficar na Orla de Atalaia. Depois de muito pesquisar escolhemos (na intuição) o Nobile Express Aracaju. Ele fica perto da rodoviária e de um dos terminais de ônibus da cidade, além de ter ponto de ônibus na frente do hotel. É muito fácil ir  para o centro e para Atalaia a partir dele, tanto que foram pouquíssimas vezes que pegamos uber.

O hotel é pequeno, mas é bem aconchegante. Pegamos um quarto com vista para a piscina e para a avenida. O quarto que ficamos foi simples, duas camas de solteiro, guarda-roupa, frigobar, ar-condicionado e banheiro tinha um espelho “mara” e era grande.

Na diária já vem incluso o café da manhã e o que consumir a mais, você paga a parte. Uma das coisas que Magu e eu fizemos, foi ir ao mercado e comprar salgadinho, cerveja, água e outras comidinhas. Quanto a receptividade dos funcionários, nota 10, super educados e atenciosos.





E para comer?

Uma das melhoras coisas para se fazer quando está viajando é poder comer em locais diferentes e experimentar a culinária local. E ao mesmo tempo que é bacana ter referências da onde ir, é legal “se deixar levar” e entrar, aleatoriamente, em um estabelecimento. E no caso da minha ida para Aracaju, optei pela segunda opção.


No primeiro dia que fomos para a praia paramos em um restaurante que estava tocando música ao vivo e voltamos lá todos os outros dias (hahahaha). O Bistrô Bagatelle tem uma decoração rústica, todos os dias tem música ao vivo, o atendimento é excelente, a cerveja é gelada (para os apreciadores, esse detalhe faz toda a diferença), a comida é boa e o valor das bebidas/porções/comida cabe no bolso. Ele está localizado na Orla de Atalaia, próximo ao caranguejo, e você pode entrar de biquíni (pelo menos durante o dia).




Outro restaurante que fomos, foi o Galeteria Sergipana que fica perto do Projeto TAMAR. O local é espaçoso, nas mesas próximas as janelas ao invés de cadeira são bancos acolchoados, o atendimento é bom e comida também. O valor não é tão alto, mas também não é baratinho.




Os demais locais que fomos, foram restaurantes self service do centro daqueles que a fome bate e você entra no primeiro que vê hahahaha. Na Orla de Atalaia tem diversas opções de restaurantes e sorveterias, ai é só se jogar.

Quem já foi para Aracaju, deixa aqui nos comentários mais dicas de locais para comer e aonde se hospedar.

beijos, beijos

{algumas fotos foram retiradas da internet e do instagram dos locais}