Assine a newsletter

Carta para a Gabriella do futuro




[para ler daqui um ano] 

Olá Gabe, tudo bem?

É  estranho escrever uma carta para o meu eu do futuro (ou seria do passado, presente?), ainda mais sobre dinheiro, um assunto que você começou a ter um relacionamento mais íntimo a pouco menos de um ano. Mas, vamos lá!

Você ainda tem vontade de aprender sobre jornalismo econômico? No dia que escrevo essa carta me lembro que essa era uma editoria que você sempre quis trabalhar. Espero que esse deseje e vontade ainda continue ou que você tenha achado uma nova área para se aventurar.

Sobre a sua vida - ops, nossa vida - financeira você curtiu muito nos anos 2016 e 2017 e quando chegou 2018 e 2019, sentiu o peso de ganhar menos e ter mais contas para pagar. Ah, e claro, que não vamos esquecer da sua primeira dívida que acabou sendo gerada pelo seu pai. Eu sei que na época foi uma coisa ruim, mas que você nunca culpou ele. Daquela época para os dias atuais você deu algumas escorregadas, mas, graças a Deus, já  está colocando tudo em ordem.

Hoje, 31 de outubro de 2019 as contas estão sendo pagas, ainda não sobra dinheiro no final do mês para ficar tranquila e o cheque especial ainda é uma válvula de escape, que você sabe que não deve recorrer.

Em relação as finanças do casal, sua e do Roberto, ela vem melhorando a cada mês. Em outubro, Roberto até guardou R$50 (na verdade te deu para que você aplicasse) e vem pensando mais sobre planejamento financeiro.

Para o futuro, espero que você atinja o valor que estipulou para a reserva de emergência e que já esteja trabalhando de casa. E mesmo que esteja em uma empresa (dos outros e não a sua) que ela seja com horário flexível, que te desafie a cada dia e te de um frio na barriga a cada novo projeto. Mas até lá você sabe que vai ter que superar alguns medos, seguir à risca um planejamento e não perder o foco dos seus sonhos.

Mas, como a Gabriella do presente não está escrevendo esta carta para a Gabriella do futuro, só como
forma de relembrar alguns pontos importantes, também escrevo essa carta para puxar a nossa orelha e pontuar algumas atividades que não devem ser repetidas

  1.      Nunca confie suas contas a outras pessoas, mesmo que seja da família;
  2.    Quando for fazer uma nova grande mudança (para outra casa ou cidade) se prepare, no mínimo 6 meses com antecedência. Em 2018 você morou seis meses sozinha e viu o quanto foi difícil e não quero que passe novamente por isso.;
  3.       Não gaste mais do que você ganha;
  4.      Nunca deixe de alimentar a sua reserva de emergência pessoal;
  5.     Crie uma reserva conjunta com o Roberto, é importante que vocês tenham um dinheiro guardado para emergências
Gabe, que esses cinco pontos nunca sejam esquecidos e que a sua relação com o dinheiro melhore a cada dia. Hoje (no dia que está carta está sendo escrita) você ainda sente vergonha (em alguns momentos) de falar que está sem dinheiro ou que está “apertada”. Espero que essa insegurança seja superada e que o tema dinheiro seja dito e conversado de forma leve e em todas as ocasiões.

31/10/2019

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixei aqui o seu comentário, sugestão ou elogio