Oscar 2021: Filmes assistidos

No dia 15 de março foi divulgado os indicados ao Oscar 2021. A premiação desse ano vai ser um pouco atípica, principalmente por conta da pandemia que acabou fazendo com que a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood mudasse a data da premiação.

Outra mudança foram as indicações dos filmes produzidos por streaming. A pandemia também fez essa mudança, já que as salas de cinema estão fechadas e não tem público (e nem pode ter) para ir assistir. A Netflix recebeu 35 indicações nos filmes que concorrem, sendo 11 a mais que em 2020. Os filmes da Amazon Studios  ficou com 12 indicações, à frente de estúdios tradicionais, como Warner (8 indicações), Disney (8), Focus Features (7), Sony (6), A24 (6) e Searchlight (6). Entre os outros stremings a Apple teve duas indicações, e o Hulu teve uma.  




Eu adoro acompanhar e assistir os filmes indicados ao Oscar, pra fazer as minhas próprias apostas e saber se aquele filme é realmente bom. Desde março eu venho assistindo alguns títulos e nesse post compartilho o que achei de cada um.

Mank



 Ele é todo em preto e branco e dá aquela sensação que o filme é antigão. Ele conta a história do Mank a partir do momento que ele precisa finalizar o roteiro de um filme (Cidadão Kane) e ao longo do filme vai mostrando como que era a a sua vida. É uma parte da biografia dele, contada através do filme.

Classifico como um drama, porque em muitas partes o filme toca em como que o Mank tinha que tomar algumas atitudes que não gostava ou até presenciava alguma cena que o incomoda, mas que, devido as pessoas influentes com quem tinha contato, ele não podia se manifestar. E esse drama é retratado nas falas (principalmente quando estava bêbado), nas feições e trilha sonora. 

O filme também retrata como que as atitudes dele acabou influenciando, negativamente, em alguns momentos da sua vida. Como por exemplo, não poder assinar o roteiro que estava escrevendo (em um primeiro momento) e não poder ir a cerimônia do Oscar para receber o prêmio, pela indicação de Cidadão Kane.

Mank concorre nas categorias: Melhor filme, Melhor fotografia, Melhor trilha sonora original, Melhor som, Melhor figurino, Melhor design de produção, Melhor direção, Melhor ator e Melhor atriz coadjuvante (Amanda Seyfried).
Aonde assistir: Netflix.

Os 7 de Chicago



O filme conta a história de sete pessoas que foram acusadas de conspiração pelo governo federal, dos Estados Unidos, devido ao confronto que aconteceu em 1968 durante um protesto conta a guerra do Vietña, em Chicago.  

Gostei do filme e ele mostra claramente como a política do EUA pode interferir em várias instâncias e como que eles fazem de tudo para que o resultado final seja a favor deles. Só achei que teve pouca participação do personagem Bobby Seale, interpretado por Yahya Abdul-Mateen II, pensei que iriam explorar mais a participação dele.

Os 7 de Chicago concorre nas categorias: Melhor filme, Melhor ator coadjuvante (Sacha Baron Cohen) e Melhor canção original.
Disponível na Netflix.

Meu pai



Que drama angustiante. Ele conta a história do Anthony (pai) que está doente (acredito que é alzheimer) e como que ele está lidando com a doença (sem consciência que está doente). O filme também retrata como que a família, nesse caso a filha Anne está lidando com a situação.

O filme mexe com a sua cabeça, porque algumas das falas e cenas se repetem e você fica "mas essa cena já não passou?" ou "ela acabou de falar a mesma coisa".

Também achei o filme triste, porque a Anne está fazendo o possível para que o pai fique confortável, se mantenha ativo e continue fazendo as atividades que já fazia. Mas com o avanço da doença, tem momentos no filme que você não sabe se é real ou se é ilusão o que o Anthony está vendo. 
Acredito que tem chances de ganhar nas categorias de Melhor Filme e Melhor ator.

Meu pai concorre nas categorias: Melhor filme, Melhor montagem, Melhor design de produção, Melhor ator (Anthony Hopkins), Melhor atriz coadjuvante (Olivia Colman) e Melhor roteiro adaptado. 

A voz suprema do blues



O filme se passa no ano de 1927 e o desenrolar dele, acontece dentro do estúdio de gravação, onde a Ma Rainey, interpretada pela Viola Davis, junto com a sua banda, irá gravar um álbum.

Na minha visão, quem sustenta o filme é o Levee, interpretado pelo Chadwick Boseman, que durante trás diversos questionamentos e posicionamentos sobre preconceito, dores, conquistas e sonhos. Acredito que o filme irá levar algumas estatuetas. 

A voz suprema do blues concorre nas categorias: Melhor ator (Chadwick Boseman), Melhor atriz (Viola Davis), Melhor design de produção, Melhor cabelo e maquiagem e Melhor figurino.
Disponível na Netflix.


O Tigre Branco




Filme de bollywood que te prende do início ao fim. Ele é um drama, mas não daqueles que te fazem chorar. Ele é contato de trás pra frente e se inicia com o empresário indiano Balram Halwai (Adarsh Gourav), escrevendo um email para um grande líder político que está com viagem marcada para a Índia, para conhecer os grandes empresários locais.

Balram começam o filme contando como se tornou um empresário e já início aparece um cartaz escrito "Procura-se Balram Halwai" e você já fica "mas como assim?"

O Tigre Branco aborda a nitidez da diferença de classes, como os ricos se sentem superiores aos pobres, como que os pobres "aceitam" a posição deles. como que o estudo e oportunidades são importantes.
O filme é baseado no best-seller do New York Times e acredito que tem chances de levar uma estatueta.

O Tigre Branco está concorrendo na categoria: Melhor roteiro adaptado.
Disponível na Netflix. 

Nomadland





Sabe aquele filme que você cria expectativas e quando assiste, ele não te surpreende? Então, foi o aconteceu com Namadland. Ele conta a história da viúva Frances McDormand, que perdeu tudo na Grande Recessão e decidi ir viver como nômade, viajando por algumas cidades do Oeste americano.

Nomadland é um filme parado, não há cenas de ação, há poucas falas e a trilha sonora é tranquila. Esse é aquele tipo de filme que você não deve esperar uma cena forte ou algo que precisa ser desvendado.
Acredito que ele vai ganhar algumas estatuetas, por conta dos prêmios que já levou nas premiações que já aconteceram.

Nomadland concorre nas categorias: Melhor filme, Melhor fotografia, Melhor Montagem, Melhor direção, Melhor atriz (Frances McDormand), Melhor roteiro adaptado.

Uma canção pra Latasha 



Ele é um documentário de curta-metragem e conta a história da Latasha, através da sua melhor amiga e irmãos. Ela foi assassinada quando tinha 15/16 anos, quando foi comprar algo em uma loja.

A dona da loja (mulher branca) cismou que a Latasha tinha roubado algo, mesmo a menina mostrando o dinheiro que estava na mão dela e atirou nela. 
O documentário fala de esperança, de preconceito e de sonhos que as crianças negras têm, e que muitas vezes são ignorados.

Uma canção para Latasha concorre nas categorias: Melhor documentário de curta-metragem
Disponível na Netflix.

Crip Camp - Revolução pela inclusão



Esse é aquele tipo de documentário que faz com que a gente se questione "o que eu posso fazer para ajudar as pessoas que são deficientes". Ele também mostra uma realidade que muitos de nós desconhecemos.

Crip Camp conta a história de um acampamento que existiu nos anos 60 e que era voltado para pessoas com todos os tipos de deficiência. Ele também aborda como que o acampamento fez diferença na vida de muitas pessoas; algumas das batalhas que eles tiveram que travar para conseguir políticas públicas; contribuições que fizeram para a garantia desses direitos e como atualmente anda a vida deles. Vale muito a pena ver.

Crip Camp - Revolução pela Inclusão concorre na categoria: Melhor documentário.
Disponível na Netflix.

O som do silêncio


O filme conta a história de um baterista, de uma banda de heavy metal que perde a audição e precisa lidar com a nova vida. Ele vai morar em um acampamento de surdos e começa uma busca por entender o que aconteceu, como continuar a se comunicar e como se adequar as novas linguagens.

Gostei bastante do filme e enquanto assistia, sentia um incômodo relembrando todas as vezes que sofri porque estava passando por alguma mudança. Ele também me chamou a atenção, para importância da inclusão das pessoas com deficiência (que nem é com o documentário Crip Camp).

O Som do Silêncio concorre nas categorias: Melhor filme, Melhor montagem, Melhor som, Melhor ator (Riz Ahmed), melhor ator coadjuvante (Paul Raci) e Melhor roteiro original.
Disponível na Amazon Prime. 


Para o Oscar 2021 foram indicados 57 produções, entre filmes, animações, documentários, curta-metragem, entre outros. Se você quiser conferir a lista completa, é só clicar aqui. Eu dei preferência pra assistir os que estão indicados a Melhor Filme e os que estão disponíveis na Netflix ou Amazon.

Me conta, você gosta de acompanhar o Oscar? Já assistiu algum dos filmes que foram indicados? Conforme for assistindo, vou atualizando o post.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixei aqui o seu comentário, sugestão ou elogio