Assine a newsletter

Eu sei que pode estar um pouco cedo (ainda faltam 2 meses pra voltar), mas nesses três meses que estou na Colômbia sinto que já cresci muito, pensamentos mudaram e algumas prioridades também. Que as pessoas mudam a cada dia isso é fato, mas a partir do momento que você sai da sua zona de conforto e vai viver uma vida totalmente diferente do que você está acostumado, todo o seu corpo e mente te dizem que você sempre esteve preparado para essas mudanças.


Se eu falar que todas essas mudanças que eu estou sofrendo é algo novo, vou estar mentindo. Porque elas já veem acontecendo desde 2012, quando eu sai da casa da minha mãe pra fazer jornalismo em outro estado. Claro que nem todas as mudanças são iguais, cada uma vem com o seu DNA, sua forma e te transformando de um jeito diferente.

Esse ano, com o intercâmbio, eu aprendi que consigo me comunicar em outra língua com outras pessoas, consegui perder um pouco da timidez, experimentei novas comidas, aprendi a "administrar" melhor a minha saudade e andei pela segunda vez de avião e, acho, que perdi o medo.

No aeroporto no dia da viagem
Sobre a universidade, eu percebi o valor que tenho que dar para os meus estudos. Como a UPB - Universidad Pontifícia Bolivariana (aonde estou estudando) é uma universidade particular, muitos alunos não estão nem ai para as aulas, professores, trabalhos e afins. Eu tenho aula com professores bons que também atuam como jornalistas, professores que dão palestras em diversos lugares, que já lançaram livros, entre outros. E que dão o máximo para passar o seu conhecimento aos alunos, sendo que muitos deles não prestam atenção, tem preguiça de pensar, escrever e até de ir as aulas.

Eu sei que isso também faz parte de um cultura, do ensinamento dos pais e tantas outras coisas. Mas, sei lá, a minha mãe sempre me ensinou a dar valor aquilo que eu tenho, principalmente os estudos porque sem ele eu não chegaria aonde estou.

Turma da disciplina de cinema. Estávamos indo para o Festival de Cinema de Cartagena
Aprendi a ser um pouco mais simpática, não que eu não seja, mas é que nem todos os dias estou com o humor nas alturas e distribuindo sorrisos. E aqui, a grande maioria das pessoas, acordam alegres, perguntando como que você está, como que vai a sua vida, contando piada, dando risadas...

Também aprendi a ouvir mais as pessoas. Isso pode soar engraçado, mas nem sempre estamos, realmente, prestando atenção no que o outro está falando. E eu que faço jornalismo isso é um requisito essencial, ouvir o que o outro está dizendo, prestar atenção na sua história, nas suas ideias, o que ela tem a nos dizer.

Quando estamos em um país diferente é inevitável não prestar atenção no que as pessoas estão falando, ainda mais se elas estão falando com você, dando uma palestra ou aula. Eu não vou voltar para o Brasil dominando o espanhol,  mas vou voltar compreendendo melhor a língua, vou saber me comunicar, ler e até a escrever.

Aniversário de um dos filhos da "mãe postiça" da Amanda e da Chris
E por último, aprendi que consigo me divertir com pouco que tenho. Uma sábado a tarde pode se tornar uma tarde de filmes (que é o que tem acontecido muito), uma ida ao Mc Donald's serve para jogar conversa fora e na volta, conhecer um novo restaurante e tirar uma foto para a parede "hall da fama". Um aniversário colombiano já é motivo pra gente cantar um "parabéns pra você, nessa data querida..", na nossa língua e fazer uma graça com o povo daqui.

São detalhes que só com a vivência, com o novo e com novas descobertas que vamos dando valor a coisas tão pequenas.

Beijos, beijos
Abril chegou, já vai fazer três meses que estou na Colômbia e a viagem de volta só vai se aproximando. É aquela sensação de sonho realizado que só vai enchendo o coração. Como já tenho uma boa vivência aqui resolvi vir contar um pouco dos costumes colombianos.


Como em qualquer lugar, seja no Brasil ou em outra parte do mundo, cada região tem a sua cultura, seu modo de falar, de se relacionar com as pessoas, de comer e por ai vai. Uma das coisas que eu ouço bastante aqui em Montería, é que o pessoal que mora na costa são mais afetuosos e os que moram em Bogotá são mais "arrogantes".

Acredito que essa denominação é porque Bogotá é a capital do país, é uma cidade grande e todo mundo está sempre em movimento, que nem São Paulo (#saudades). Também acho que isso vai de pessoa para pessoa, mas como ainda não fui visitar Bogotá não posso (ainda) falar o que achei dos moradores.

Mas deixando o disse me disse de lado, elenquei alguns itens interessantes sobre os costumes daqui:

#1: Fritura no café da manhã

Isso mesmo pessoal eles comem fritura logo cedo e isso está me matando. Eu que sou acostumada a comer pão francês com café ou leite com toddy, demorei para me acostumar com os "desayuno" (café da manhã em espanhol) daqui. O bacana é que todo dia é algo diferente, então tem dias que eu como cereal, ovo mexido, "arepa" ou bolinho frito com queijo e presunto.

A señora Kate (minha mãe colombiana) tenta ao máximo agradar todas as meninas que moram em casa e como é a universidade que paga a minha moradia, fico um pouco sem jeito para falar que não vou comer determinada coisa. O engraçado é que pra eles isso é super normal.

Uma das coisas que eu já reparei é que esse excesso de fritura está acabando com a minha pele e com o meu cabelo. O que estou fazendo é bebendo muita água e sempre que der, ir substituindo a fritura por um algo mais saudável. Para quem quiser conhecer um pouco mais sobre as comidas, pode dar uma olhada nesse post.


#2: Mulheres usam calça até no calor

Para nós brasileiros que a cada raio de sol já vamos colocando um shorts, saia ou vestido, encontrar alguém que está vestindo calça em um calor de 30º já faz com que a gente pense "mas essa pessoa está louca". Sim, esse foi um dos meus pensamentos. E eu digo mais, pelo menos aqui em Montería é super normal as pessoas usarem calça no calor. E o mais engraçado é que eles reclamam da temperatura, mas mesmo assim não saem de shorts. Loucura não! hahahaha.

Eu, como não nego as minhas raízes e também não sou obrigada a passar calor, uso e abuso dos shorts. Claro que de vez em quando eu uso calça, para não desrespeitar (muito) a cultura deles, principalmente na universidade.


#3: Sair de chinelo? Nem pensar

Esse é outro item que eu fiquei abismada (hahaha), as pessoas aqui não saem de chinelo e só usam ele dentro de casa, ou para tomar banho. Não sei porque esse costume, mas enfim, é engraçado ver a cara do pessoal quando eu ou as outras brasileiras saímos de havaianas.

#4: Eles não jantam

Sim, eles não jantam (#chorei) e sim comem um lanche de noite. E quando eu e as outras brasileiras falamos que a nossa janta é um prato com arroz, feijão, salada e uma carne, eles ficam boquiabertos. Então se você for vir pra Colômbia e te convidarem para jantar e servirem um lanche, não se assustem porque essa é a janta deles. 

--

É isso pessoal, esses são alguns costumes dos colombianos, espero que vocês tenham gostado de conhecer um pouco mais dessa cultura e qualquer dúvida é só deixar nos comentários. 

Beijos, beijos

Alguns costumes colombianos

Por as abril 04, 2015
Abril chegou, já vai fazer três meses que estou na Colômbia e a viagem de volta só vai se aproximando. É aquela sensação de sonho realizado...