Não tenha vergonha do seu corpo

Nunca fui obcecada por ter um corpo a la Gisele Bundchen, mas também não saio por ai comendo tudo que vejo pela frente. Desde pequena aprendi que ter uma alimentação saudável é o segredo para ter uma boa saúde. E claro que de vez enquanto "enfio o pé na jaca", mas o que seria da dieta se não tivéssemos os doces e os fast-food? Nada, não é!


Me peguei pensando no corpo feminino e como nos vemos no espelho, depois de voltar da primeira praia que conheci na Colômbia. Sempre gostei de praia, porém me sentia envergonha e insegura (#quemnão?) por ter que ficar de biquíni na frente de diversos pessoas.

E sabe o que é engraçado? Não senti nada disso. Não sei se é porque estava fora do meu país e com pessoas desconhecidas, mas simplesmente, quando toquei os pés na areia, já comecei a tirar a roupa. Fato controverso, porque a maioria das colombianas se banham vestidas.

Diante disso, eu mesma me questionei: "Afinal, porque eu tenho vergonha do meu corpo?". Ok, não sou esbelta, tenho coxas grossas, quadris largos e uma barriguinha, que no futuro quero eliminar, porque agora, sabe como é trabalho, cervejinha no fim de semana e um pouco de preguiça também.

Sei que devemos nos aceitar do jeito que somos, mas também sei que não é uma tarefa 100% fácil, principalmente  com a mídia nos dizendo que existe um certo padrão de beleza. E quando o quesito é relacionamento? Ai a mulherada fica louca, achando que todos os homens só gostam das mulheres que tem seios grandes, barriga zero e pernas torneadas. Uma doce ilusão de todas nós.

Aprendi a me aceitar e não ficar com tantas neuras, só porque ganhei 1kg a mais. É um processo difícil, isso garanto, mas quando ficamos nua na frente do espelho e achamos aquela imagem bonita, é porque finalmente você conseguiu se aceitar.

Nada é mais encantador do que ver uma mulher andando na rua com um sorriso de orelha a orelha, nos dizendo que ela é feliz independente dos padrões de beleza impostos, e do que as outras pessoas pensam.

Beijos, beijos

Cortar o cabelo, seria um ato de coragem?

Em todas as minhas mudanças capilares (e olha que foram muitas), as pessoas sempre me diziam "nossa,  mas como você é corajosa" e eu acabei me questionando - e também aos outros - sobre esse tal ato de coragem. 

Eu sei que um corte de cabelo pode mudar drasticamente a fisionomia de uma pessoa, e até as atitudes dela. Também acredito que uma mudança capilar vem carregada de desejos e daquela vontade de mudar. Ai eu faço novamente a pergunta, um corte de cabelo é um ato de coragem ou as pessoas que estão acomodadas? 


Conversando com algumas amigas fiz essa pergunta e foi uma coisa unanime, todas acham que um corte de cabelo é um ato de coragem. Elas disseram que a questão da cor pode até entrar em alguns momentos, mas que ainda conseguimos reverter o resultado. Já o corte, não tem como colar o cabelo de volta e a única solução é esperar que eles cresça ao tamanho desejado. 

Depois de muito refletir sobre isso, acabei concordando que realmente um corte de cabelo é um ato de coragem. O problema é que não sei se todas as vezes que mudei o meu corte eu estava sendo corajosa ou foi algo de impulso, só sei que toda mudança no visual vem com algo novo na minha vida. 

Acho que essa minha relação capilar começou desde quando eu era criança, porque a minha mãe arrumava os meus cabelos todos os dias de uma forma diferente, e querendo ou não conforme eu ia crescendo eu mesma comecei a inventar penteados em mim mesma. E até nas amigas. Aprendi a fazer escova sozinha, trancinha (tererê para alguns), trança embutida, pintar e até a cortar. A partir dai já da para imaginar o tanto de coisa que já fiz no meu cabelo. 



O "ato de coragem" dos cortes foram sendo introduzidos aos poucos na minha vida capilar e com eles algo sempre vinha acontecendo, uma mudança de espírito ou uma nova fase da minha vida. Primeiro namorado, técnico de secretariado, segundo namorado, ingresso na faculdade, intercâmbio e planos para o futuro. 

É complicado explicar através das palavras como que é essa mudança interna, como que eu me renovo. Mas quem quiser dar um up na vida, ver as coisas mudarem - para melhor, claro -, vá cortar o cabelo. E quando eu digo corta o cabelo é corta mesmo, nada de "só as pontinhas" ou "corta dois dedos", é um corte radical, pode ser inspirado em alguém ou simplesmente deixar nas mãos do cabeleireiro. O importante é que essa mudança também venha de dentro, lá do seu interior de querer fazer algo diferente, de querer algo diferente pra sua vida. 

E para as amantes do curtinho, tem uma pasta no Pinterest só de cortes curtos para se inspirar. 

Beijos, beijos

Pode entrar, a casa também é sua

Desafiador e transformador. É com essas duas palavras que eu começo esse texto de boas-vindas. Desafiador, porque esse é o meu primeiro blog pessoal/comercial onde tudo passa por mim, linha editorial, layout, programação, linguagem, entre outros. É a Gabriella empresária se lançando como marca.


E essa decisão também é transformadora porque é um projeto (de certa forma) novo e que vai trazer algo que a muito tempo vinha se perdendo, o hábito da escrita. A paixão que determinou a minha escolha profissional e que mesmo com a correria do dia a dia, tem – e quero – que ela volte com força total. Por isso, já vou logo avisando, aqui teremos muitos textos pessoais – principalmente sobre amor -, resenhas (tanto de filmes quanto de livros), moda, uma pitada de beleza e muitos posts sobre viagens. 



Esse espaço também foi criado para compartilharmos experiências então podem mandar sugestões, dúvidas, críticas (construtivas, por favor) e elogios. O blog não é só meu é de vocês também. 

Para os amigos, não deixem de me acompanhar nas outras redes sociais Instagram, Facebook, Pinterest e Youtube. E para quem está chegando agora - além de me de seguir nos outros canais =D -, dê uma passada na aba Sobre onde explico um pouco sobre o conteúdo do blog e na Quem escreve, para que você conheça quem é a Gabe Pinheiro. 

Um grande beijo.