Eternizando momentos com a Phosfato

Eu adoro fotos. Adoro registrar viagens, momentos e pegar um álbum e relembrar (ou conhecer) um local/história. Com o "boom" das tecnologia raramente encontramos uma pessoa que ainda tem o hábito de revelar fotos (minha felicidade quando criança era levar os rolos de negativos na papelaria para revelar) e, acreditem se quiser, eu sou uma dessas pessoas que adora ter milhões de álbuns.

Mesmo com essa paixão pela foto em papel, comecei a revelar cada vez menos pela praticidade de poder ter a foto guardada em vários dispositivos e por saber que ela vai durar mais. E sempre em casos específicos (presente pro namorado ou foto no mural) que eu ia atrás para revelar algumas fotos.

Até que há uns seis meses atrás, visitando o blog da Lu do Chata de Galocha, vi um post sobre uma empresa que te enviava mensalmente um número X de fotos a partir das suas redes sociais. E o melhor? As fotos eram surpresas. Fiquei louca com essa novidade e não pensei duas vezes em entrar no site e assinar um pacote com a marca.


Não gente, esse não é um publi post. É indicação do amor, porque a cada mês quando chega um novo pacote com novas fotos eu tenho certeza que não fiz um mal negócio.

A empresa se chama Phosfato e o objetivo deles é que seus clientes tenham uma experiência de recordação e felicidade quando recebem suas fotos. Para vocês entenderem: a marca trabalha com três tipos de planos, o M que vem com 6; o S que vem com 9 e o E que vem  com 12. Todos eles são acompanhados de um envelope que se transforma em porta retrato.

Mas como funciona Gabi? 

Após você criar a conta no site e escolher o seu pacote, você precisa decidir se o sorteio das fotos será a partir da sua conta do Instagram, Facebook ou você mesmo vai enviar as fotos pelo computador. Escolha feita, é só esperar que a equipe do phosfato faz todo o trabalho. Eles te enviam um email avisando quando que será feito o pagamento do mês do seu pacote, enviam outro email falando o dia que será o sorteio (você tem a opção de selecionar as fotos que não quer que entre para o sorteio) e te enviam outro email avisando que o seu pacote já está nos correios.




O que eu mais gostei da proposta, além de receber em casa fotos surpresas, foi a preocupação e atenção com os clientes. Teve um mês que o meu pacote demorou mais que o normal pra chegar e eles entraram em contato comigo falando que estava atrasado e, assim que chegasse, pra eu avisá-los.

Esse é o primeiro plano de kits que assino e não me arrependo. Indico pra todos que gostam de ter algumas lembranças reveladas, tanto que uma das meninas que moram comigo também assinou um pacote.

Agora eu quero saber, vocês ainda revelam fotos? Guardam álbuns de fotos?

Beijos, beijos

Que tipo de mulher quero ser?

Um dia desses assisti um vídeo sobre como a mulher é retratada na mídia. Ele foi criado pelas organizações Paz com Dignidad e Revista Pueblos, filmado no Brasil com o títlulo "O que a imagem da mulher brasileira na mídia tem a ver com a democracia da comunicação" discutindo os padrões de beleza impostos e destacando que a própria mídia - à que delega quais são esses esteriótipos - também tem o poder de desmistificar esse "padrão".

De alguns anos pra cá houve uma crescente "mobilização" em relação ao feminismo. O que antes era pouco discutido devido - justamente - a não divulgação de notícias (a todo momento) sobre o assunto, hoje está sendo como "um tapa na cara da sociedade", ainda mais no caso das mulheres, de como devemos deixar os esteriótipos de lado e esquecer que mulher não foi feita (só) para cozinhar, lavar e passar.


Pra mim, um dos exemplos mais fortes foi o discurso da Emma Watson na ONU sobre a campanha #HeforShe, aonde ela convoca todas as mulheres a se levantarem e irem atrás do que é delas, principalmente da igualdade de gênero. Não deixando os homens de lado, ela os aponta como peça importante na campanha anti-sexista.

Para quem ainda não assistiu, o discurso completo com legenda em português está aqui:


Ainda sobre como a mídia nos retrata e como muitas vezes somos influenciadas por ela, escrevi no blog a algumas semanas atrás, um relato de como passei a aceitar o meu corpo e como nos preocupamos com o que os outros acham da gente.

Cresceu em mim uma vontade de saber mais sobre o feminismo, ouvir exemplos reais e ter uma visão mais ampla sobre o assunto. Em uma dessas pesquisas, acabei conhecendo o blog The black Cupcake e a Naomi (dona do blog) fez um post sobre uma escritora nigeriana, Chimamanda Ngozi, que foi para os Estados Unidos estudar, já escreveu cinco livros, sendo um deles transformado em filme "Meio Sol Amarelo" (sem previsão para chegar no Brasil) e que, além de tudo isso, empodera as outras pessoas com os seus discursos.

Através das suas histórias pessoais ela faz com a gente pense sobre alguns momentos de nossas vidas, faz com que quebremos alguns esteriótipos e nos convida a ser feministas.

E é ai que eu me questiono, e te questiono: "Afinal, que tipo de mulher eu (vocês) quero ser?". No momento a única coisa que eu sei, é que quero igualdade em tudo; quero não poder me preocupar com que os outros - principalmente os homens - vão achar quando eu fazer algo, que pra eles, é extraordinário e que duvidavam da minha capacidade. E claro aprender a cada dia novos empoderamentos.

E vocês, que tipo de mulheres querem ser?

Vamos nos empoderar, vamos deixar de fingir o que não somos, vamos lutar pelos nossos direitos, vamos lutar pelo tratamento igualitário entre os gêneros e o mais importante, vamos lutar para que as crianças (filhos) cresçam com uma visão ampla sobre as coisas e que elas não se sintam "presas" nos esteriótipos impostos pela sociedade, e nem pela mídia.

Links da semana #1

Uma das coisas que eu resgatei - fora o exercício de escrever toda semana -, quando abri esse espaço foi voltar a ler e conhecer outros blogs. Para mim, além de ser um hobby, me inspira a trazer (e criar) novos conteúdos para o blog, a ter novas ideias para os meus projetos e aprender coisas novas. E como sou da filosofia de que coisa boa tem que ser compartilhada, a partir de hoje temos uma nova categoria no blog "Links da Semana" onde vou trazer o que ando lendo na internet.



E o que andei lendo na última semana foram:

Realização profissional: quando é hora de mudar de carreira?, no blog da GWS. Aquele texto que da uma injeção de animo para quem está pensando se muda ou não de rumo.

Também sobre carreira, a Fran do blog Morando Sozinha falou sobre o processo de decidir o que fazer daqui 5, 10 anos.

E pra quem está sempre procurando novas ferramentas para ajudar no dia a dia do trabalho, principalmente quem trabalha com planilhas, a equipe do CBBlogers fez um post sobre sistemas de gestão e como que eles podem auxiliar na organização das tarefas.

E vocês, o que andam lendo?